19/03/2021

Campos Sales : Barbara Pereira de Alencar Uma heróina esquecida pelos turistas

 



                                            
                                              Foto Túmulo de Barbara Pereira de Alencar 


   A falta de uma maior política de valorização ao tumulo da Heroína Barbara Pereira de Alencar, no populoso distrito de Itaguá na zona rural do Município de Campos Sales, onde está sepultado os seus restos mortais na igreja da localidade, para tornar -se como um bem imaterial no patrimônio Histórico do município, é um das principais reivindicações da maioria dos moradores que residem naquela localidade. Os moradores, alegam que devido a falta de incentivo por parte dos  poderes publicos federal, Estadual e Municipal, é que infelizmente toda a sua história está ficando esquecida. 

O acesso ao local fica ainda pior na época das chuvas. O desejo dos moradores do distrito é que haja interesse em preservar a história da heroína, pois o túmulo quase não é mais visitado. “Ele fica na capela, é bem zelado. O túmulo tem uma placa bonita e é resguardado com uma cercadura. O que falta é visitação. Quase ninguém vem aqui ver”, reclama a professora aposentada Francisca Pipia Arraes, 63, que mora em Itaguá desde que nasceu. Ela ressalta que o local é muito isolado.“Só vem mesmo quem tem negócio. O asfalto passa distante mais de 10 quilômetros. A estrada é muito ruim”. Para Francisca, falta interesse do poder público em preservar o monumento e atrair mais visitantes. “É uma riqueza, um patrimônio”.SAIBA MAIS

Bárbara de Alencar nasceu no dia 11 de fevereiro de 1760, na cidade de Exu, interior de Pernambuco.

Casou-se em 1782 com o capitão português José Gonçalves dos Santos, comerciante de tecidos na vila de Crato, região do Cariri, para onde se mudou e passou maior parte da sua vida.

Teve quatro filhos: João Gonçalves de Alencar, Carlos José dos Santos, Joaquina Maria de São José, Tristão Gonçalves Pereira de Alencar e José Martiniano de Alencar. Este último é pai do escritor José de Alencar.

Uma das primeiras mulheres a envolver-se em política, foi presa em Fortaleza em 1817.

Em 1824, seus três filhos homens entram na Confederação do Equador. Nesta luta, ela viu morrer dois dos seus filhos, Carlos de Alencar e Tristão Gonçalves.

Bárbara morreu em 28 de agosto de 1832, na fazenda Alecrim, no Piauí.



                    Blog do Amaury Alencar  o Povo