Na contramão de muitos locais, estabelecimento no Montese apoia decreto contra pandemia, em Fortaleza

 











Casa da Sobra Bar e Restaurante, no Montese (Foto: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM)
Casa da Sobra Bar e Restaurante, no Montese (Foto: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM)

Desde o anúncio do novo horário de funcionamento para comércio e serviços em Fortaleza devido à pandemia de Covid-19, têm havido protestos sobretudo de bares e restaurantes contra as medidas. Porém, no segmento nem todo mundo tem a mesma visão das medidas definidas em decreto estadual. Localizado no Montese, o Casa da Sogra Bar e Restaurante se posicionou nas redes sociais em apoio às medidas.

"Não desmerecemos a luta de ninguém por querer trabalhar dignamente. Mas, o momento é crítico para a saúde da população, com hospitais lotados — inclusive com grande número de crianças infeccionadas desta vez — e passar o menor tempo possível expostos na rua, fazendo qualquer tipo de coisa, é nossa melhor maneira de prevenção", publicou o perfil do Casa da Sogra. 

O bar e restaurante reconhece que terá dificuldades com a medida. "Iremos nos prejudicar? Demais!!! Ainda não sabemos como vai ficar a questão financeira. Porém, o mais importante é preservar e salvar vidas. Essa doença já levou muita gente antes da hora, pessoas de todas as faixas etárias", prossegue na publicação.

A nota também destaca que há outros problemas a serem enfrentados, e cita a lotação dos ônibus. "(...) ainda assim, uma coisa não invalida a outra. Vamos fazer nossa parte", diz o texto.

Leia o texto na íntegra:

Nós, do Casa da Sogra Bar e Restaurante, apoiamos o novo decreto com especificações de horário. Não desmerecemos a luta de ninguém por querer trabalhar dignamente. Mas, o momento é crítico para a saúde da população, com hospitais lotados — inclusive com grande número de crianças infeccionadas desta vez — e passar o menor tempo possível expostos na rua, fazendo qualquer tipo de coisa, é nossa melhor maneira de prevenção.

Iremos nos prejudicar? Demais!!!

Ainda não sabemos como vai ficar a questão financeira. Porém, o mais importante é preservar e salvar vidas. Essa doença já levou muita gente antes da hora, pessoas de todas as faixas etárias. Claro que existem outras questões a serem resolvidas o quanto antes (como os ônibus lotados, por exemplo), ainda assim, uma coisa não invalida a outra. Vamos fazer nossa parte.

                 O POVO 

Postar um comentário

0 Comentários