Mais de 22% dos eleitores se abstiveram de votar no 2º turno em Fortaleza






 

As eleições municipais de 2020 chegaram ao fim nesse domingo (29) após uma disputa acirrada entre José Sarto (PDT) e Capitão Wagner (Pros) pela prefeitura de Fortaleza. Na reta final da campanha, os candidatos buscaram conquistar o voto dos eleitores que votaram em outros candidatos no 1º turno, mas também a preferência daqueles que se abstiveram na primeira fase do pleito. Apenas no 2º turno foram 414.959 eleitores que optaram por não votar (22,78%), enquanto no 1º turno foram 397.774 (21.84%).

Na eleição de 2016, quando o também candidato do PDT, Roberto Cláudio, ganhou a disputa contra Capitão Wagner (Pros), 314.915 fortalezenses se abstiveram de votar no 2º turno, o que equivaleu a 18,60% do total de eleitores aptos a votar, que na época eram 1.377.742. Em 2020, houve um aumento de 100.044 eleitores que se abstiveram de votar em relação ao 2º turno de 2016. Vale destacar que de acordo com os dados Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre a eleição de 2016 e 2020, ocorreu um aumento de 28.681 eleitores aptos a votar.

Uma das justificativas para o aumento das abstenções é o temor que muitos eleitores tiveram de se dirigir aos locais de votação devido aos riscos de contaminação pelo novo coronavírus. Mesmo com as medidas sanitárias adotadas pelo TSE para diminuir a ocorrência de novos casos durante o pleito, muitos cidadãos preferiram permanecer em casa e se resguardar.

Justificativa eleitoral

Segundo o TSE, o eleitor que não apresentou a justificativa no dia da votação, ainda poderá justificar sua ausência pelo e-Título, pelo Sistema Justifica ou pelo formulário Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição) em até 60 (sessenta) dias após cada turno da votação, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito. 


( Ceará agora)