Vereadora Dra. Luciana Rolim anuncia que Unidade Móvel de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher estará em Várzea Alegre



A vice-presidente da Câmara de Vereadores de Várzea Alegre, Dra. Luciana Rolim, comunicou na sessão legislativa dessa quarta-feira, 04 de setembro de 2019, que ela e seu esposo, o vice-prefeito Dr. Fabrício Rolim, juntamente com o deputado estadual, Marcos Sobreira, conseguiram para Várzea Alegre a vinda da Unidade Móvel de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher.


 A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre

A Unidade Móvel estará na cidade no dia 16 de setembro para realizar atendimentos. É um projeto executado pela Secretaria Estadual de Proteção Social, Justiça, Mulheres e Direitos Humanos visando o combate e prevenção à violência contra as mulheres no Ceará.

A Unidade Móvel realiza, dentre os serviços, atendimento com assistente social e da psicóloga; roda de conversa; acolhimento; encaminhamentos para órgãos da rede de enfrentamento à violência contra a mulher, tais como Delegacia de Defesa da Mulher, Centro de Referência da Mulher, Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), e Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS).

Dra. Luciana disse que, além destes serviços, há oferta de ações de saúde, como aferição de pressão, verificação de taxa de glicose e serviços da assistência social, como atualização e cadastro do NIS e do Bolsa Família.

O ônibus, especialmente equipado para atender mulheres em situação de violência, é adaptado com duas salas onde atua uma equipe multidisciplinar treinada para a escuta das denúncias. 

O objetivo é levar às mulheres os serviços especializados da Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência, seguindo os eixos do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres. 

Através do requerimento nº 4761, de 10 de junho, Marcos Sobreira atendeu o pedido da vereadora e do vice-prefeito, em audiência com ele em 10 de maio. “Eu e Fabricio temos desempenhado um trabalho neste município na área da saúde. Realizamos atendimento médico-voluntário, nossa casa sempre com as portas abertas para o povo. Fabrício já conseguiu R$ 4 milhões que já foram destinados à saúde, mas como vereadora tenho também procurado contribuir com outras áreas que também necessitam do nosso apoio. Junto à educação conseguimos o Curso de Primeiros Socorros. Neste segundo semestre o secretário Antônio Fernandes vai levar para outras unidades escolares”, disse.
A vereadora disse que neste mandato  não podia deixar de fazer uma ação voltada para a mulher varzealegrense, principalmente as violentadas. “Quero compartilhar com vocês os números assustadores do país quanto à violência à mulher em 2018: 16 milhões de mulheres foram violentadas em 2018; Dentro de casa, os números não são mais amenos: dentre os casos de violência 42% ocorreram no ambiente doméstico. Além disso, mais da metade das vítimas, 52% não denunciou o agressor ou procurou ajuda. O levantamento revela ainda que 8 em cada 10 mulheres sofreram violências por algum conhecido. Namorados ou maridos representam 23,9% dos casos; ex-namorados ou ex-companheiros foram 15,2%, irmãos; 4,9%; amigos, 6,3% e pai ou mãe 7,2%”, afirmou.
Ela também falou sobre esse tipo de violência sob a perspectiva racial. “Em uma perspectiva racial, as mulheres negras se mostram mais vulneráveis na pesquisa, onde 28,4% relataram ter sofrido alguma violência, contra 24,7% das mulheres brancas”.
Segundo Dra. Luciana Rolim, a pesquisa foi realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, através do Data Folha e publicada pela revista Exame. “Eu quero fazer um convite especial às mulheres varzealegrenses, principalmente as violentadas, que compareçam dia 16 de setembro à Unidade Móvel para termos uma conversa coletiva no sentido de ouvir o que as mulheres têm a falar e conscientizá-las de seus direitos. Uma importante ação que será desenvolvida em Várzea Alegre a fim de ajudar e orientar inúmeras mulheres sobre seu papel na sociedade e alertar para os abusos e violências que porventura estejam sofrendo. Já fiz contato com a Secretária de Assistência Social, Laura Maria, para o engajamento das equipes dos CRAS e do CREAS bem como todo o público assistido pela secretaria. Posteriormente irei divulgar onde ficará a Unidade Móvel.