Casa Amarela Eusélio Oliveira comemora 50 anos com série de atividades, em Fortaleza - Blog Amaury Alencar - O Mais completo do Interior do Ceará

Blog Amaury Alencar - O Mais completo do Interior do Ceará

O Blog mais completo do interior do Ceará com compromisso com a notícia.

Breaking


15/06/2021

Casa Amarela Eusélio Oliveira comemora 50 anos com série de atividades, em Fortaleza

 


A exposição “Revela 50”, abre as comemorações no dia 17 de junho. Ainda este mês serão lançadas as séries “50 anos em segundos”, com depoimentos de personalidades sobre a CAEO, e “Anima 50”, de micro filmes de animação.

(Foto: Divulgação)

A Casa Amarela Eusélio Oliveira (CAEO), equipamento cultural da Universidade Federal do Ceará (UFC), pioneiro no campo da formação audiovisual no Estado, completa 50 anos de fundação no dia 17 de junho. Para marcar a data, uma série de atividades comemorativas vai acontecer até o final deste ano. 

A primeira delas é a exposição virtual “Revela 50”, com 50 fotografias de Celso Oliveira, que poderá ser visitada a partir do dia 17 de junho no site www.caeo.ufc.br e na página da CAEO no Facebook (@casaamarelaufc). Outra atividade é “50 anos em segundos”, uma série de 10 depoimentos em vídeo gravados por personalidades do cinema, da cultura e da educação cearenses, sobre sua relação com a Casa Amarela. Entre eles, o reitor da UFC, Cândido Albuquerque, o secretário da Ciência e Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará, Inácio Arruda, e o cineasta Rosemberg Cariri, entre outros. 

Desde sua fundação a CAEO oferece cursos de fotografia e de cinema. A partir de 1993 passou a atuar também no cinema de animação, tornando-se referência na área, como centro de formação e produção. O cinema de animação está nas homenagens com “Anima 50”, uma série de 10 curtas de animação de até 30 segundos com temática relacionada às cinco décadas da Casa Amarela. O primeiro, que será lançado até o final de junho nos canais da instituição na web, é de Telmo Carvalho, que assina a curadoria da série com Mariana Medina. 

“O Cinema de Arte Universitário foi criado em 1971, depois passou a ser chamado de Casa Amarela e em seguida, em homenagem ao seu fundador, Casa Amarela Eusélio Oliveira. Se o Ceará é hoje um dos principais pólos de produção, formação e difusão do audiovisual no Nordeste e no Brasil, foi graças ao trabalho fundamental deste equipamento cultural da UFC”, diz Wolney  Oliveira, diretor da Casa Amarela Eusélio Oliveira.

Exposição virtual “Revela 50” e Varanda Maurício Albano

Revela 50” é uma homenagem aos fotógrafos que contribuíram com a história da Casa Amarela Eusélio Oliveira, a começar pelo autor da exposição, Celso Oliveira, parceiro de longas datas do equipamento, com uma seleção panorâmica dos seus mais de 40 anos de trabalho. Nascido no Rio de Janeiro e residente há quatro décadas em Fortaleza, Celso Oliveira tem sua obra marcada pelo registro de manifestações populares, em especial do Ceará e do Nordeste, tendo participado de exposições dentro e fora do Brasil. Integra o acervo do Houston Center of Photography (EUA) e do Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo. 

Além da exposição “Revela 50” com trabalhos de sua autoria, Celso Oliveira é o curador convidado da Varanda Fotográfica Maurício Albano, novo espaço da Casa Amarela Eusélio Oliveira, cujo nome é uma homenagem a um dos grandes fotógrafos cearenses que também é parte da história da CAEO, tendo sido professor do Curso Básico de Fotografia. Reunindo imagens de fotógrafos que passaram pelo equipamento nesses 50 anos em exposição permanente, a Varanda Fotográfica já está pronta e deverá ser inaugurada após a retomada das atividades presenciais na UFC.

Acervo de Eusélio Oliveira 

Fundador da Casa Amarela, o professor e cineasta Eusélio Oliveira reuniu, ao longo de toda a sua vida dedicada ao cinema e ao ensino, um rico acervo composto por centenas de documentos de diversos gêneros, tratando de assuntos ligados à prática cinematográfica e ao cinema brasileiro. Todo este material está sendo tratado e digitalizado pela Casa Amarela, com apoio da Profa Dra. Ana Carla Sabino Fernandes, do Departamento de História da UFC. A etapa final deste processo será a publicação eletrônica do acervo, fornecendo acesso a pesquisadores e apaixonados pelo cinema, reforçando a vocação formativa da CAEO. 

Formação, Difusão e Produção

Com sua história marcada pelo compromisso com a formação, a difusão e a produção do audiovisual, a Casa Amarela Eusélio Oliveira tem contribuído para o fortalecimento e a democratização desta cultura no estado do Ceará e no Brasil. Desde sua fundação oferece cursos nas áreas de fotografia, de cinema e de cinema de animação. Profissionais do campo da fotografia como Delfina Rocha, Tiago Santana, José Albano e Silas de Paula, frequentaram as salas de aula da CAEO, como alunos ou professores, assim como os cineastas Tibico Brasil, Glauber Paiva Filho, Jane Malaquias, Joe Pimentel, entre outros. Em média, 300 alunos concluem os cursos da Casa Amarela Eusélio Oliveira todos os anos. 

No campo da difusão, ao longo de toda a sua história a Casa Amarela tem um importante papel no apoio a cineclubes, mostras e festivais, entre os quais, as mostras Cinema e Direitos Humanos, Curta o Gênero, e festivais como o NOIA, o For Rainbow e o Cine Ceará.  Sobre os 50 anos de história da Casa Amarela, o jornalista e pesquisador de cinema Firmino Holanda, prepara um livro, que deve ser publicado em breve. 

CAEO virtual na pandemia

Em 2020, em virtude da impossibilidade de atividades presenciais por conta da pandemia de Covid-19, a Casa Amarela Eusélio Oliveira iniciou o ciclo de exposições fotográficas “Fotografia em Casa” e o cineclube virtual “Cinema em Casa CAEO”, expondo o trabalho de ex-alunos e professores da CAEO em plataformas virtuais. Somados os dois eventos já foram realizadas cerca de 50 edições. 

Para o mês de setembro está programado um curso básico online de fotografia com o professor Fernando Jorge para 50 alunos. As inscrições serão abertas em agosto nas mídias sociais do equipamento.

Cine Benjamin Abrahão e Memorial do Cinema Brasileiro

Ainda no contexto das comemorações de 50 anos, a CAEO programa a reinauguração do Cine Benjamin Abrahão, que completa 40 anos em agosto deste ano. Com capacidade para 140 espectadores, o cinema recebeu recursos de acessibilidade, reforma das poltronas, troca do sistema de ar condicionado e aguarda agora a conclusão da segunda etapa da obra, que visa oferecer à comunidade acadêmica e ao público em geral uma sala de exibição digital de última geração.

Um dos projetos que deverá ser marco de uma nova era da CAEO é o Memorial do Cinema Brasileiro, um museu do cinema inteiramente digital e interativo que funcionará nos moldes do Museu da Língua Portuguesa, de São Paulo. O Memorial é parte do projeto de ampliação do equipamento, tanto em sua estrutura como na oferta de serviços à comunidade audiovisual. O projeto foi apresentado em fevereiro de 2020 pelo diretor da CAEO, Wolney Oliveira, ao reitor da UFC, professor Cândido Albuquerque, ao secretário da Cultura do Estado, Fabiano Piúba, e ao secretário da Ciência e Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará, Inácio Arruda. “Esse é o nosso sonho, mas esta ampliação definitiva com verticalização da Casa Amarela Eusélio Oliveira depende da viabilização de recursos a médio prazo”, diz Wolney Oliveira.

Mais informações sobre o projeto de ampliação da Casa Amarela Eusélio Oliveira: Projeto de ampliação da Casa Amarela é apresentado ao reitor da UFC – Casa Amarela Eusélio Oliveira | Casa Amarela Eusélio Oliveira

SERVIÇO

Comemorações de 50 anos da Casa Amarela Eusélio Oliveria  – Abertura com a exposição virtual “Revela 50”, de Celso Oliveira, a partir do dia 17 de junho de 2021 no site www.caeo.ufc.br e página da CAEO no Facebook (@casaamarelaufc). 

                            o Estado ce 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.