Chuvas fazem volume do Castanhão subir 14 centímetros em 24 horas

 





Pescador no açude Castanhão (Foto: Aurelio Alves)
Pescador no açude Castanhão (Foto: Aurelio Alves)

O açude Castanhão apresentou um aumento significativo em seu volume durante no intervalo de 24 horas. Ao atingir 10,49% de sua capacidade, o reservatório alcançou o maior nível já registrado desde o início da quadra chuvosa no Ceará, no primeiro dia de fevereiro, quando estava com 10,51%.

Os números são do relatório diário realizado pela pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). Os dados apontam um crescimento de 38 centímetros no nível do açude desde o início deste mês.



Desde o último dia 10 de março, o Castanhão passou a ser abastecido com parte das águas vindas do rio São Francisco, entretanto, o secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, explica que o aumento no volume do açude não é reflexo da transposição.


O secretário esclarece que a atual vazão vinda do São Francisco é suficiente apenas para manter os níveis do maior reservatório do Ceará.

"Há a mistura das vazões aduzidas pelo projeto de integração do São Francisco com esse fluxo natural, mas como a vazão do São Francisco está em torno de 10m3 por segundo e nós tivemos, na cidade de Jaguaribe, vazões de até 230m3 por segundo no dia de ontem, fica claro que esse aporte é oriundo das chuvas, uma vez que os 10m3 por segundo transferidos por meio do projeto de integração seriam suficientes apenas para manter o Castanhão em um certo nível, reduzindo suas perdas por evaporação", explica.

No início desta semana, o fluxo de água no rio Salgado, o principal aquífero que abastece o Castanhão, já havia apresentando um aumento significativo na sua vazão.


O administrador do Complexo Castanhão por parte do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Braulino Coelho, havia adiantado ao O POVO, na última segunda-feira, 15, que o crescimento do volume do Castanhão poderia ser observado 72 horas depois do aumento da vazão no Rio Salgado.

As chuvas na região do Cariri são as principais responsáveis pelo feito. Durante o último fim de semana, o levantamento da Fundação Cearense de Meteorologia a Recursos Hídricos (Funceme) apontou que a região do Cariri foi a que mais choveu em todo o Estado, durante o sábado, 13, e o domingo, 14.

Nesta semana, as chuvas continuaram, o que tem colaborado com o aumento da vazão dos rios da região. A previsão da Funceme aponta que as chuvas no Cariri devem continuar nesta sexta-feira, 19, e durante o sábado, 20.

"Todo aporte é bem-vindo. A jusante do Rio Jaguaribe precisa, assim como a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O Castanhão é o reservatório que serve a RMF e a Capital", conta Braulino.


Com o aumento do fluxo de água nos rios que abastecem o Castanhão, e a previsão de chuvas no Cariri, a expectativa é de que o volume do açude continue subindo durante os próximos dias.

"Com certeza! O volume do rio Salgado está com 150m3 por segundo em Icó, e vai aumentar a recarga no Castanhão nos próximos dias. Teremos um impacto bastante positivo. As águas da transposição ajudam significativamente", relata o administrador do complexo.

Em um comparativo com o mesmo período do ano passado, o açude teve um aumento de 6,1% no seu volume, indo de 4,39% de ocupação em 18 de março de 2020, para 10,49% na última quinta-feira.


Em 2021, o maior volume do açude foi registrado ainda no primeiro dia do ano, com 11,17% de ocupação, um volume total de 748,58 por hectômetro cúbico. Desde então, o nível de água do reservatório vinha caindo até o início do mês de março, que registrou o menor volume do ano, assim como nos dias 24 e 25 de fevereiro, quando o reservatório estava com 10,11% de ocupação, representando um volume de 677,11 por hectômetro cúbico.


                  o Povo 

Postar um comentário

0 Comentários