Iniciam articulações para eleição da nova Mesa Diretora da Câmara de Quixeramobim

 




No dia 1º de janeiro ocorrerá a sessão solene de posse e eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Quixeramobim para o biênio 2021-2022. Em meio a transição de Governo Municipal, os olhos não se voltam somente para a composição do secretariado de Cirilo Pimenta, mas ainda para articulação da base aliada do gestor eleito, visando a presidência da casa, já que tem maioria.

Hoje, presidida por Idelbrando Rocha, o vereador do PSD (partido do vice-prefeito eleito Edmilson Junior) que não conseguiu se reeleger, a Câmara Municipal contou com a reeleição de apenas 5 dos 15 atuais. Dos outros 12 nomes a compor a futura Legislatura (já que serão 17 cadeiras), 6 já ocuparam a função de vereador e próximo ano retornarão ao Legislativo, reduzindo ainda mais o número real de renovação. Para quem analisa o comportamento das urnas, é possível perceber que o recado foi dado, mas é provável que na mesa de negociações esta mensagem será ouvida?

Há nomes novos no Legislativo e a maioria integram a base de Cirilo Pimenta, como por exemplo o filho do ex-prefeito Osvaldo Martins e de tradicional família política no município, Igor Martins, que foi o mais votado da bancada, obtendo a quarta posição geral. Ele já tem seu nome ventilado nos bastidores. Ao que vem sendo dito, o jovem quer construir uma sólida caminhada política. Outros nomes miram nos veteranos: Antônio Filho, Cristina Pimenta e François Saldanha. Este último já foi presidente em 2017-2018.

Parlamentares ouvidos pela reportagem há 2 anos, revelaram existir nos bastidores uma espécie de acordo informal para que não houvesse reeleição do presidente no intuito de oportunizar “novos nomes” como chefe do Legislativo Municipal, daí o motivo de Idelbrando ter sucedido François.

Se o novo será chamado a assumir a vaga, ainda é incerto, mas as negociações continuam.

Do Repórter Ceará