O município de Quixeramobim, no Sertão Central, receberá uma Usina Solar Fotovoltaica. O empreendimento tem como objetivo suprir a demanda energética da cidade que fica localizada no Sertão Cearense. O Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades (IPGC) realizou estudos de modelagem e será o responsável pela a implementação, gestão e manutenção.

As empresas integrantes do consórcio entraram com um investimento de R$13,6 milhões no município, e ficam responsáveis pela implantação, gestão e manutenção de uma Usina Solar Fotovoltaica em Quixeramobim durante 26 anos de concessão.

O projeto recebeu propostas de três licitantes diferentes, que foram elaboradas de acordo com os estudos de viabilidade realizados pelo Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades – IPGC Brasil, instituição sem fins lucrativos de Belo Horizonte.

Depois de um longo processo de levantamento de dados, análise, escuta de lideranças e consulta pública, verificou-se que o enorme potencial de geração de energia solar cearense poderia ser melhor aproveitado pela cidade de Quixeramobim.

Nesta quinta-feira, 12, na presença de integrantes do Instituto, o prefeito de Quixeramobim, Clébio Pavone, assinou o convênio para que o município possa produzir a energia solar que beneficiará todos os prédios públicos da cidade. “Vai revolucionar a energia aqui no nordeste, no coração do Ceará, trazendo qualidade e economia ao serviço do município. Isso é muito importante para nós que fazemos parte de Quixeramobim”, disse o gestor.

Leonardo Santos, diretor-presidente do IPGC, em entrevista ao Sistema Maior de Comunicação, afirmou que o projeto será o primeiro que inaugura uma nova fase de etapa das cidades inteligentes. “Quixeramobim se torna uma cidade mais inteligente porque ela passa a usar energias renováveis, que é a energia solar, para atender todos os prédios públicos do município, como escolas, unidades de saúde e prédios administrativos, que tem um ganho econômico pra cidade de mais de 20% nos gastos de energia”, disse Leonardo.

Atualmente, a Administração Pública de Quixeramobim consome em média 5.460.000 kwh/ano. Os estudos realizados pelo IPGC dão liberdade para que a empresa vencedora da licitação instale uma ou mais Usinas Solares com a potência que for considerada adequada pela própria empresa, desde que se respeite os limites definidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) para minigeração distribuída e que a necessidade de consumo médio da Prefeitura seja contemplada.

Do Repórter Ceará (Foto: Divulgação/IPGC)

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib