A briga entre as cúpulas estaduais do MDB e PSD se acirrou ainda mais nas últimas horas com um acordo na corrida pela Prefeitura de Iguatu que envolve o Republicanos, o pedido de licença do deputado federal Domingos Neto e a convocação do suplente Ronaldo Martins.

                          


As informações dos bastidores políticos apontam que estava tudo certo, em uma articulação do presidente da Executiva Regional do MDB, ex-senador Eunício Oliveira, para o deputado federal Moses Rodrigues (MDB) pedir licença, abrindo, assim, a vaga para Ronaldo Martins e, como resultado, o apoio do Republicanos à pré-candidatura do deputado Agenor Neto, do MDB.


O acordo foi frustrado com a entrada em cena do presidente da Executiva Regional do PSD, Domingos Filho. Domingos atravessou o caminho de Eunício e segurou o Republicanos na base de apoio ao prefeito Ednaldo Lavor. A matemática montada pelo líder do PSD passou pela licença do mandato do deputado Domingos Neto, o que garantiu a convocação do suplente Ronaldo Martins.

PREFEITURA DE IGUATU

A corrida pela Prefeitura do maior colégio eleitoral da Região Centro Sul tem, hoje, três grupos – um liderado pelo ex-deputado estadual e ex-prefeito Marcelo Sobreira que, em 2016, apoiou a eleição vitoriosa do atual prefeito Ednaldo Lavor. Marcelo, que comanda o PDT, tem o filho Marcos, deputado estadual, pré-candidato a prefeito, com o apoio do PC do B, PP e PT.

O deputado Agenor Neto tenta voltar à Prefeitura, enquanto Ednaldo Lavor está em campanha pela reeleição. O cenário pré-eleitoral ainda tem indefinições e o senador Cid Gomes (PDT) se articula para manter a base aliada do Governo do Estado unida em torno de uma única candidatura  

  Ceará agora 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib