No mês que se celebram diversas datas relacionada à mulher negra, a Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) realiza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial (Ceppir), a roda de conversa on-line “Com a Palavra as Mulheres Negras e Africanas”. A transmissão do debate ocorrerá na próxima quarta-feira (29), a partir das 15h, no canal SPS Ceará no youtube. A conversa será mediada pela coordenadora da Igualdade Racial, Zelma Madeira, e contará com a participação de mulheres quilombolas, africanas, trans, pesquisadoras e acadêmicas. A abertura terá a presença da titular da SPS, Socorro França, e das secretárias-executivas Lia Gomes e Denise Aguiar.
A programação faz alusão ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, celebrado em 25 de julho, data que inspirou o Dia Nacional da Mulher Negra e de Tereza de Benguela, líder quilombola, também conhecida como Rainha Teresa, que junto à comunidade negra e indígena resistiu à escravidão por duas décadas no Quilombo de Quariterê, no Mato Grosso, sobrevivendo até 1770. Outra data importante é o dia 31 de julho, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher Africana, data instituída em 1962, durante a Conferência das Mulheres Africanas na Tanzânia. A comemoração é feita a partir das lutas e conquistas que essas mulheres vêm, ao longo dos anos, ultrapassando para conseguir visibilidade e respeito perante à sociedade.
A coordenadora da Ceppir, Zelma Madeira, destaca que a força de resistência e a potência das mulheres negras se ancora nos seus ancestrais. “Nossos passos vêm de longe! Nossa força vem das mulheres que vieram antes de nós, nossas mães, nossas avós. Nesta roda de conversa nós vamos ouvir mulheres negras que ocupam diferentes espaços contando suas experiências, suas lutas e conquistas. A ideia é que possamos juntos entender como a mulher negra mesmo diante de sistemas tão pesados de opressão, como o racismo e o machismo, conseguem levar adiante sua militância, sustentar sua família e ainda propor mudanças para sociedade em que vivem”, ressalta a coordenadora, que também lembra ,“estar junto é o que nos fortalece e nos potencializa para a conquista cotidiana da equidade de gênero e da igualdade racial.
Além do debate com as convidadas será exibido um vídeo para apresentar a história de Preta Simoa, a “Tia Simoa”, mulher negra que liderou a “Greve dos Jangadeiros”, onde se decretou o fim do embarque de escravizados naquele porto, definindo os rumos para a abolição da escravidão na então Província do Ceará.
Participam do encontro, Patrícia Adjoké, assessora pedagógica da Coordenadoria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Coppir/ Fortaleza); Karla Alves, historiadora e uma das fundadoras do Pretas Simoa, grupo de mulheres negras do Cariri; Diana Maia, representante do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Coepir); Joelma Gentil do Movimento Negro Unificado (MNU); Aurila Maria, liderança quilombola e representante da Conaq e Coepir;Dediane Souza, coordenadora da Diversidade Sexual de Fortaleza;Adriana de Maria, Baiana de Acarajé e Mulher de Candomblé e a Professora Rosalina Tavares Semedo da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB).

Programação

15h – Abertura com Patrícia Adjoké (assessora pedagógica da Coordenadoria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – Ceppir Fortaleza)
15h10 -Mesa de abertura institucional
Representação da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos – SPS/ Secretaria Executiva de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos/ Secretaria Executiva de Políticas para as Mulheres
Zelma Madeira (Coordenadora Ceppir/sps)
Diana Maia – (Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial -COEPIR)
15h15 -Vídeo apresentação da história da Preta Simoa com Karla Alves
15h20 – Palestra – com a palavra mulheres negras e africanas
Mediação: Profa. Dra. Zelma Madeira (CEPPIR/SPS)
Joelma Gentil (Movimento Negro Unificado – MNU)
Aurila Maria (Liderança quilombola representante da CONAQ e COEPIR)
Dediane Souza (Coordenadora da diversidade sexual de Fortaleza)
Adriana de Maria (Baiana de Acarajé e Mulher de candomblé)
Prof. Rosalina Tavares Semedo (UNILAB)
16h30 – Debate com as convidadas e espectadores
17h20 – Considerações finais das palestrantes
17h30 – Vídeo homenagem para Thina Rodrigues

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib