EXAME em detento do sistema prisional de Ceará, em Itaitinga
EXAME em detento do sistema prisional de Ceará, em Itaitinga (Foto: Divulgação/SAP)


O Ceará registrou a primeira morte por Covid-19 no sistema prisional. O preso João Paulo Lopes Vieira, de 36 anos, faleceu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza, nessa segunda-feira, 27. Outro óbito, também de um detento, está sendo investigado.

Procurada pelo O POVO, o secretário Mauro Albuquerque, da Administração Penitenciária (SAP), confirmou a informação. Por nota, a assessoria de imprensa da SAP informou que João Paulo Vieira estava cumprindo pena na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL2), em Itaitinga, e desde o dia 21 deste mês precisou ser internado com sintomas graves da Covid-19.

João Paulo, de acordo com o prontuário médico, pertencia ao grupo de 1.326 presos do sistema penitenciário do Ceará mais vulneráveis à contaminação do novo coronavírus. Ele sofria de hipertensão arterial sistêmica e também era asmático.

Mais quinze presos dividiam a cela com João Paulo. De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária, a ala onde o interno estava recolhido foi isolada e, por enquanto, nenhum detento do local “apresenta sintomas de gripe ou semelhante a coronavírus”. A CPPL2, de acordo com estatísticas de dezembro de 2019 da SAP, está superlotada. Com capacidade para abrigar 944 presos, tem 1.726 detentos. Um excedente de 782 apenados.

Nesta terça-feira, 28, o Núcleo de Saúde da SAP “realizou testes em todos os internos desta ala”. Porem, não divulgou o resultado dos exames feitos nos presos nem nos servidores que trabalham onde João Paulo cumpria pena. “O objetivo é antecipar os casos suspeitos, promover tratamento entre os confirmados e prevenir uma possível disseminação da doença”, informou parcialmente a nota.
A situação é preocupante no sistema penitenciário do Ceará. Além da morte do primeiro preso por Covid-19, o vírus já se espalhou entre os agentes penitenciários. Ao O POVO, a SAP confirmou que 67 policiais penais testaram positivo para a doença. “Todos estão estáveis, isolados e acompanhados por um grupo composta por médicos, psicólogos e assistentes sociais. A Secretaria informa que possui efetivo de agentes suficiente pra garantir a segurança do sistema prisional”, afirmou a assessoria de imprensa.

No último dia 23/4, O POVO noticiou que 20 agentes penitenciários tinham sido contaminados pelo novo coronavírus e estavam afastados das funções para tratamento em casa ou hospitalizados. A SAP, no entanto, preferiu não confirmar a informação alegando “questão de segurança”.


o povo 
Postagem Anterior Próxima Postagem