Bolsonaro sobre o Inmetro: ‘Implodi, mandei todo mundo embora’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado, 22, ter decidido “implodir” o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) depois de o órgão ter anunciado a troca para modelos digitais dos tacógrafos analógicos, o dispositivo para monitorar distância percorrida e velocidade nos taxímetros. Bolsonaro demitiu parte da diretoria da entidade no último dia 17.

No Guarujá, no litoral de São Paulo, cidade onde está passando o Carnaval, ele avaliou a medida como prejudicial aos taxistas. “Implodi, mandei todo mundo embora”, afirmou. “Não temos que atrapalhar a vida dos outros. Temos que facilitar a vida de quem produz. Os novos (táxis), tudo bem, agora tirar do pessoal e trocar, não. Tem que implodir. Cortar a cabeça de todo mundo para sentir que mudou o governo. Não tem mais espaço pra isso”.


O presidente nomeou o coronel do Exército Marcos Heleno Guerson de Oliveira Júnior para o lugar antes ocupado por Angela Flôres Furtado na presidência do Inmetro. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União na última segunda-feira 17. Mas não foi só Angela que saiu. “Demiti o presidente e uma meia dúzia da diretoria”, explicou Bolsonaro.

Satisfeito com a mudança, Jair Bolsonaro disse ainda que já conversou com o coronel e que vai receber dele um relatório semanal sobre a situação do Instituto. “Quero um Inmetro trabalhando para o Brasil, para o empresariado e para o consumidor”.
Postagem Anterior Próxima Postagem