Advertisement

Camilo defende boa relação com Ciro; aliados reforçam união entre PT e PDT no Ceará


Camilo e base aliada defendem boa relação com Ciro e aliança PT-PDT no Ceará(foto: O POVO)

Camilo e base aliada defendem boa relação com Ciro e aliança PT-PDT no Ceará(foto: O POVO)

 

O governador Camilo Santana (PT) voltou a defender, nesta segunda-feira, 31, a manutenção da aliança entre PT e PDT no Ceará, inclusive dentro do âmbito no cenário eleitoral deste ano. Durante a inauguração da Policlínica Senador Almir Pinto, na Pajuçara, em Maracanaú, o petista destacou ter boas relações com o ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes (PDT), apesar do pedetista ter proferido críticas contundentes à lideranças petistas na última semana.

“Meu diálogo é muito bom com o Ciro, aliás, o PDT faz parte da nossa aliança e não é de hoje. Há mais de 30 anos o PDT é aliado do PT, desde Sobral, depois no governo do Cid e no meu governo. Nós não trabalhamos com projetos individuais ou pessoais, mas com um projeto que tem levado o Ceará a avanços importantes”, endossou o governador.

A fala reitera a defesa que o governador tem feito em prol da manutenção da aliança entre os partidos no Ceará, estremecida na última semana após ataques de Ciro a lideranças do PT, entre elas o ex-presidente Lula. Camilo tem sido pressionado por determinada ala petista crítica ao movimento dos Ferreira Gomes. O grupo tem colocado a necessidade de reavaliação da aliança com o PDT, da garantia do palanque da campanha de Lula ao Planalto, além de uma candidatura própria do PT ao governo cearense.

A situação, contudo, parece ter sido apaziguada após reunião do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores realizada no último sábado, 29. O encontro divulgou uma resolução que indica o governador como candidato do partido ao Senado Federal e aprovou uma emenda que reforça a tese de manutenção da aliança entre PT e PDT no Estado para a eleição deste ano.

O evento de inauguração da Policlínica também contou com a presença de parlamentares da base aliada do governo, entre eles os deputados Walter Cavalcante (MDB), Acrísio Sena (PT), Júlio César Filho (Cidadania). Integrante da oposição, a deputada Fernando Pessoa (PSDB) também esteve no local. A tucana informou que já ensaia migrar para o União Brasil, nova sigla fruto da fusão entre DEM e PSL, junto com seu pai, o prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa (PSDB), também presente na solenidade.

Aliados de Camilo também foram incisivos ao reforçar discurso favorável à manutenção dos laços que unem o PDT e PT no Ceará. O deputado federal Mauro Filho, ex-secretário do Planejamento e
Gestão e atual pré-candidato do PDT ao Palácio da Abolição, defendeu haver uma “aliança sólida” entre as legendas no Estado. Segundo ele, nada irá abalar a unidade entre as siglas que estão, avalia, focadas no que chamou de “Projeto Ceará”.

Mauro Filho comentou ainda o recente atrito entre alas do PT que pediam a revisão da aliança e o governador Camilo, que respondeu firmemente aos correligionários. “O governador já foi claro em relação a isso. O que temos é uma aliança sólida entre PT e PDT e nada vai abalar essa unidade, absolutamente nada. O que está sendo focado aqui é o projeto Ceará. E essas duas forças, juntamente com outros partidos aliados, faz com que o estado e o projeto fiquem ainda mais fortes”, comentou.

O parlamentar destacou ainda o andamento do processo interno no PDT para escolher o nome que concorrerá à sucessão de Camilo em outubro próximo. “Vamos retomar os encontros (regionais) a partir da metade de fevereiro para levar a mensagem aos municípios de que o governo tem um projeto que fez o Ceará crescer”.

Para o deputado Acrísio Sena, a aliança entre os partidos deve prevalecer no decorrer da campanha eleitoral com a existência de dois palanques e “sem prejuízo da unidade no Ceará”. “O fundamental hoje é a gente virar essa página. O PT deve chamar a grande unidade do partido aos desafios que a gente tem pela frente. Temos que nos preocupar não pra quem está criticando o Lula, mas na organização da candidatura de Lula no Ceará, Nordeste e Brasil. Nós não vamos nos preocupar com crítica de quem está querendo fazer demarcação ou tentando alavancar voos” disse o parlamentar

O deputado, porém, endossou uma carta divulgada na última semana em que pedia mais diálogo entre as lideranças do PT e os demais filiados e militantes do Ceará. “Foi tirado uma resolução, mas a grande definição é sempre o encontro de tática eleitoral. Nós precisamos voltar às macrorregiões para ouvir a opinião dos filiados e amigos do PT. Acho que vamos construir a grande unidade interna, que é o grande centro”, completou.

                                     o Povo 

Postar um comentário

0 Comentários