Prefeito e Vice de Juazeiro do Norte têm contas de campanha desaprovadas pela Justiça Eleitoral - Blog Amaury Alencar - O Mais completo do Interior do Ceará

Blog Amaury Alencar - O Mais completo do Interior do Ceará

O Blog mais completo do interior do Ceará com compromisso com a notícia.

Breaking

11/06/2021

Prefeito e Vice de Juazeiro do Norte têm contas de campanha desaprovadas pela Justiça Eleitoral

 

O prefeito de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra (PODE) e o vice-prefeito, Giovanni Sampaio (PSD) tiveram as contas da campanha de 2020 desaprovadas pela Justiça Eleitoral, com parecer favorável do Ministério Público. A decisão foi do juiz da 119ª Zona, Francisco José Mazza Siqueira, que apontou diversas irregularidades cometidas pelos então candidatos durante as eleições municipais.


Um dos motivos é que Glêdson Bezerra e Giovanni Sampaio usaram indevidamente um helicóptero, de propriedade da empresa Tecnolity do Nordeste LTDA, cujo sócio administrador é o empresário Gilmar Bender, aliado dos candidatos. Segundo a sentença, durante uma carreata realizada nas vésperas da eleição, a aeronave teria despejado uma “chuva” de papel picado, que foi transmitida ao vivo nas redes sociais.


Em sua defesa, Glêdson alegou que referidos sobrevoos foram atos espontâneos do apoiador Gilmar Bender, sem o seu conhecimento. No entanto, o vídeo foi publicado nas redes sociais do candidato, editado pelos próprios organizadores da campanha, onde em nenhum momento não se fez esforço em esconder a presença do helicóptero na edição. Além disso, pesa contra Glêdson e Giovanni o fato que Bender doou R$ 255.000,00 (duzentos e cinquenta e cinco mil reais), constituindo-se no principal doador da campanha dos candidatos. Outro fato relevante é que o helicóptero pertence a uma pessoa jurídica, sendo assim, jamais poderia ter sido utilizado na qualidade de doação estimável em dinheiro, pois configura receita oriunda de fonte vedada pela legislação eleitoral. 


Em decorrência disso, o Ministério Público optou pelo parecer favorável à desaprovação das contas eleitorais de Glêdson e Giovanni. “As omissões e falhas da prestação de contas dos candidatos sob exame não asseguram que a campanha política tenha sido desenvolvida de forma limpa, com a garantia do equilíbrio da concorrência, sendo ilegítimo eventual mandato conquistado” ressaltou o promotor eleitoral Flávio Côrte Pinheiro de Sousa.


                              Roberto Moreira 



Oi 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.