Preço do gás de cozinha bate R$ 100 em Fortaleza, revela ANP

 




O botijão de 13 quilos do gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha, já é encontrado a R$ 100 na capital cearense. É o que revela o levantamento semanal realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 14 e 20 de fevereiro.

FOTO DIVULGAÇÃO


De acordo com o levantamento, o botijão a R$ 100 foi encontrado em um estabelecimento localizado na Rua José Mendonça, no bairro Parque Genibau, em 18 de fevereiro. Este foi o preço máximo. Ainda em Fortaleza, o menor preço, R$ 75, foi encontrado na Avenida General Osório de Paiva, no bairro Vila Peri, e na Avenida João Gentil, no bairro Bom Jardim.


A pesquisa foi realizada em 53 estabelecimentos de Fortaleza. O preço médio foi de R$ 86,89 para o botijão de gás de cozinha. Após a Capital, Caucaia foi o município com o maior valor encontrado para o produto, R$ 95, nos bairros Parque Potira e Arianopolis, e o preço menor R$ 80, em cinco bairros, incluindo Iparana, Tabapua e Parque Potira. O preço médio é de R$ 86,25.


No interior, em Crato, o preço mínimo foi de R$ 79,90 e o máximo R$ 83. Já em Juazeiro do Norte, R$ 83, o menor valor, e R$ 86, o máximo. Em Maracanaú, o preço variou de R$ 80 a R$ 90, e uma média R$ 84,44.


Aumento
A Petrobras anunciou, ontem, um novo aumento nos preços da gasolina, do óleo diesel e do gás de botijão vendidos nas refinarias. A partir desta terça (2), a gasolina ficará 4,8% mais cara, ou seja, R$ 0,12 por litro. Com isso, o combustível será vendido às distribuidoras por R$ 2,60 por litro. As informações são da Agência Brasil.


O óleo diesel terá um aumento de 5%: R$ 0,13 por litro. Com o reajuste, o preço para as distribuidoras passará a ser de R$ 2,71 por litro a partir de hoje. Já o gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de botijão ou gás de cozinha, ficará 5,2% mais caro também a partir de hoje. O preço para as distribuidoras será de R$ 3,05 por quilo (R$ 0,15 mais caro), ou seja R$ 36,69 por 13 kg (ou R$ 1,90 mais caro).


Segundo a Petrobras, seus preços são baseados no valor do produto no mercado internacional e na taxa de câmbio. “ Até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras, no caso da gasolina e do diesel, além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores de combustíveis”, destaca nota divulgada pela empresa.


                                                         o Estado Ce 

Postar um comentário

0 Comentários