(crédito: Tenente Mariana - 7/8 GAV/Ministério da Defesa/Divulgação)
(crédito: Tenente Mariana - 7/8 GAV/Ministério da Defesa/Divulgação)

Para que todos os brasileiros possam votar neste domingo (15/11), cerca de 28 mil militares das Forças Armadas – Marinha, Exército e Aeronáutica – auxiliarão, por meio de apoio logístico, as eleições municipais. Urnas eletrônicas e agentes eleitorais serão deslocados para 104 regiões de difícil acesso por via aérea, naval e terrestre. É o caso, por exemplo, de tribos indígenas e de populações ribeirinhas.



Em 2020, o serviço atingirá oito estados: Acre, 35; Amazonas, 26; Amapá, 5; Bahia, 1; Mato Grosso, 4; Mato Grosso do Sul, 4; Rio de Janeiro, 2 e em Roraima, 27.

Além disso, as militares também farão a segurança no dia das eleições, com a Garantia de Votação e Apuração (GVA) que, até o momento, está previsto em 616 localidades, de 11 estados: Acre, 20 localidades; Alagoas, 12; Amazonas, 41; Ceará, 31; Maranhão, 98; Mato Grosso, 34; Mato Grosso do Sul, 8; Pará, 72; Piauí, 169; Rio Grande do Norte, 121; e Tocantins, 11.

O emprego de tropas em operações eleitorais para segurança do processo democrático é uma determinação prevista no Código Eleitoral (Lei nº 4.937/1965, art. 23, inciso XIV) e foi homologada Diretriz Ministerial do Ministério da Defesa.

Centro de Operações Conjuntas

Nesta sexta-feira (13/11), o Centro de Operações Conjuntas (COC) foi ativado no Ministério da Defesa para a coordenação de todas as informações a respeito da GVA e do apoio logístico. O COC conta com a participação dos cinco Comandos conjuntos: da Amazônia; do Norte; do Nordeste; do Oeste; do Leste e o Comando Militar do Planalto, além de representantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e da Polícia Federal (PF). 

( Correio Braziliense) 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib