Quinze cidades do Ceará tem uma situação mais privilegiada em relação aos demais 169 municípios em termos de receita extra. As 15 cidades recebem, em 2020, um aporte de aproximadamente R$ 88 milhões correspondentes a transferências, pelas petrolíferas, de Royalties.

Os Royalties e participações especiais são compensações financeiras à população pela exploração de recursos naturais finitos. Em todo o Brasil são, pelo menos, 400 municípios.

No Ceará, a relação de cidades contempladas com a grana extra tem Amontada, Aracati, Aquiraz, Caucaia, Fortaleza, Horizonte, Itapipoca, Itarema, Jaguaruana, Maracanaú, Paracuru, Paraipaba, São Gonçalo do Amarante e Trairi.

Se você imagina que, nessa relação, Fortaleza, que é a cidade mais populosa do Ceará, tem a maior fatia desses repasses, engana-se: em 2020, a capital recebe apenas 1 milhão e 350 mil reais, enquanto Itapipoca, terá uma receita – somente com os royalties da petrobras, de 9 milhões e 20 mil reais.

A pequena cidade de Jaguaruana, na Região do Vale do Jaguaribe, com mais de 32 mil habitantes, ganha destaque especial porque tem, em 2020, a renda extra é de 6 milhões e 430 mil reais. Os prefeitos dos 15 municípios do Ceará bem contemplados com os royalties terão, entre os anos de 2021 e 2024, mais de 400 milhões de reais. A projeção é feita em um estudo denominado Inforoyalties, da Universidade Cândido Mendes, publicado, na edição desse domingo do Jornal O Globo.

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib