“O preço de uma base aliada grande demais sempre vem”. A frase, exaustivamente repetida nos bastidores da Assembleia Legislativa há anos, parece ter finalmente encontrado aplicação prática no Ceará. Em vários dos principais municípios do Estado, disputa deste ano será polarizada não entre grupo aliado de Camilo Santana (PT) e oposição, mas sim entre dois ou até mais aliados do governador. A conta, enfim, chegou.





Candidatos apoiados por Cid Gomes e Domingos Filho disputa filiados do partido do governador Camilo em vários municípios (Foto: reprodução redes sociais)  



Na maioria dos casos, a disputa local inverte a lógica estadual por conta de deputados com interesses específicos em determinado município. Os rachas na base são maiores na Região Metropolitana de Fortaleza, onde disputas tendem a ser polarizadas por candidatos de siglas aliadas em Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Aquiraz. Na Capital, a união entre PT e PDT tentada por Camilo não vingou, com os partidos lançando José Sarto (PDT) e Luizianne Lins (PT).

Outro caso curioso é Iguatu, onde a base do governo possui pelo menos três grandes candidatos. Atual prefeito, Ednaldo Lavor (PSD) tenta reeleição com apoio do ex-conselheiro Domingos Filho (PSD). Tentam tomar o espaço pela oposição o deputado Marcos Sobreira (PDT), com apoio do PT de sua mãe e ex-secretária Mirian Sobreira, e o também deputado aliado Agenor Neto (MDB).

Por ser o segundo partido com mais candidatos em prefeituras do Ceará, o bloco do PSD de Domingos Filho é o "campeão" em disputas rachando a base nos grandes municípios. Em Caucaia, segundo maior colégio eleitoral do Estado, Naumi Amorim (PSD) tenta reeleição com apoio do senador Cid Gomes (PDT). O líder maior do clã Ferreira Gomes, Ciro Gomes (PDT), porém, apoia o deputado Elmano de Freitas (PT).

Divergências do PSD se repetem em vários outros municípios, como Quixadá, onde o bloco de Domingos apoia Ricardo Silveira (PSD) contra aliança entre PT e PDT puxada por Ilário Marques (PT) e o vice Pedro Baquit (PDT), filho do deputado Osmar Baquit (PDT).

Caso mais marcante, no entanto, ocorre em Tauá, reduto de Domingos Filho, onde o PSD apoia a esposa do ex-conselheiro, a deputada Patrícia Aguiar (PSD), contra o atual prefeito, Fred Rêgo (DEM), que tem apoio da base governista. No fechamento das candidaturas do partido, Domingos destacou planos de transformar o PSD em 2ª maior força do Estado, investindo em mais de 90 candidaturas a prefeito.

Ao fechar as chapas de candidaturas do PDT no Ceará, o presidente regional da sigla no Estado, deputado André Figueiredo, destacou que o partido priorizou manter a base aliada na maioria dos municípios possível. Ele destaca, no entanto, que há locais onde o interesse do partido em se consolidar como maior força política do Estado é priorizada.

"Sem dúvida a eleição deste ano é um alicerce para 2022, e nós queremos que o PDT no Ceará se consolide como maior partido aqui do Estado, até porque é a terra do Ciro (Gomes), que é nosso pré-candidato a presidente", destaca. 


o Povo 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib