Ex-prefeito João do Povo, assassinado em dezembro de 2019 (Foto: Reprodução)

Ex-prefeito João do Povo, assassinado em dezembro de 2019



As investigações do assassinato do prefeito de Granjeiro entraram em uma nova fase nesta quinta-feira (27). A Justiça do Ceará, por meio de articulações do Ministério Público do Estado (MPCE) e da Promotoria de Justiça de Granjeiro, denunciou 17 pessoas por participação no crime, que ocorreu às vésperas do último Natal, no dia 24 de dezembro de 2019. O pedido de formalização do indiciamento das pessoas havia sido recebido pela Justiça no dia 12 de agosto e foi aceito na noite de hoje.


Os denunciados, segundo revelou o MPCE, cometeram “diversos crimes relacionados ao homicídio” de João Gregório Neto, de 54 anos, conhecido na cidade como "João do Povo". A vítima levou três tiros enquanto caminhava no entorno do açude Junco. O processo de investigação das circunstâncias e motivações do crime segue sendo intensificado.
Ao divulgar a formalização da denúncia das 17 pessoas, o MPCE destacou que os promotores responsáveis pelo caso afirmam possuir “indícios suficientes de autoria e materialidade dos envolvidos para com o crime”.
A informação se sustenta na existência de “elementos probatórios” que revelariam a participação de cada envolvido no assassinato. Os promotores teriam revelado ainda estar confiantes da “proximidade de dar uma satisfação efetiva para a sociedade”, indicando um eventual encerramento do caso em breve.
Diante da estimativa de uma finalização do inquérito, o MPCE solicitou que a Promotoria de Justiça de Granjeiro determinasse um prazo para que as autoridades policiais envolvidas concluam todas as diligências e demais procedimentos ainda pendentes na investigação.
O posicionamento da Promotoria diante da sugestão não foi divulgado. O Ministério Público do Ceará destacou que não pode revelar maiores informações sobre o caso ou sobre as ações da Promotoria e das forças policiais. O órgão destacou ainda não estar autorizado a divulgar os nomes dos indiciados e dos promotores que trabalham no caso em razão do processo correr em segredo de Justiça.

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib