O Brasil elegeu o direitista Jair Bolsonaro para governar o Brasil. A Nação demonstrou que  queria se libertar do PT e da esquerda, por conta da crise econômica e da corrupção descoberta pela Lava Jato.

O voto do eleitor brasileiro alcançou abrangência maior, ao ter feito emergir os seguidores da direita, uma gente que simpatizava, mas não se manifestava. Com medo do patrulhamento e da discriminação, por defender posições conservadoras ou radicais. Por exemplo, ser contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o debater sobre sexo na escola, saudar o uso da força militar, pedir o fechamento do Congresso Nacional e do STF, dentre outras ideias. Nem todos da direita são extremistas. Muitos viraram adeptos apenas do fim da corrupção.

A pré-candidatura do deputado federal Heitor Freire (PSL) a prefeito de Fortaleza está sendo  importantíssima para ampliar essa discussão. No Ceará, Freire, sozinho, criou o PSL, lutou pela eleição do presidente Bolsonaro e, de peito aberto, defende bandeiras da direita. Ele tem legitimidade para ser o candidato real de direita na capital cearense.

Fortaleza já experimentou gestões de direita. Após a ditadura, fez opção por políticos de esquerda ou centro-esquerda. Heitor Freire pode esclarecer pontos de vista da nova direita cearense e brasileira.

Ao surgir na França, no século 17, a direita foi criada para separar os apoiadores da monarquia dos defensores da República. Os direitistas, tradicionalmente, são ligados aos militares, liberais, contra o socialismo e a social democracia. Defendem a burguesia e os ricos e oferecem aos pobres cotas para sobrevivência, como temos, no Brasil, exemplos claros. Bolsa Família e Auxílio Emergencial estão aí, para provar.

A direita brasileira se assanhou, ao ver Bolsonaro mudar de estilo. O próprio presidente recuou, após sentir a reação da sociedade, mas ampliou seus seguidores .

Heitor Freire, com sua  postulação de ser prefeito de Fortaleza, está tendo a oportunidade de criar uma linha de comunicação com a nova direita, conservadores e o antipetismo. Ciro Gomes, (PDT) considera direitista quem segue Bolsonaro. Já os seguidores fiéis de esquerda, chama de apoiadores do Lulopetismo corrupto.

Fortaleza é um grande laboratório gerador de fatos novos na política brasileira. Heitor Freire está sendo a novidade da direita na pré-campanha. Assim como o também deputado federal Idilvan Alencar (PDT), pré-candidato a prefeito de Fortaleza pela centro-esquerda. 

     Roberto Moreira 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib