Advertisement

Moradores defendem retirada de linha férrea e construção complexo cultural no Crato.


 


Durante o Encontro do Território Criativo do Gesso que teve como discussão o Plano Diretor do Crato, os moradores defenderam a retirada da linha que corta a comunidade do Gesso e a construção de um complexo cultural no local. O evento reuniu representantes de organizações que atuam no Território Criativo do Gesso que é composto dos bairros São Miguel, Palmeiral, Santa Luzia, Pinto Madeira e Centro, como é o caso do Coletivo Camaradas, Soafamc, ONG Nova Vida, Terreiro do Mestre Roxinha, Scan, Ponto de Cultura Paraíso dos Caipiras, Espaço Capoeira, Stúdio Physycal, Caldeirão das Danças e Mulheres em Movimento do Grupo Alforria. Além dos moradores,  estiverem presentes também, representantes do Legislativo Municipal e da Comissão Municipal de Revisão do Plano Diretor.

A linha férrea ao longo dos anos foi um elemento que dividiu ruas e consequentemente separou pessoas, além de dificultar o trânsito das pessoas e inviabilizar a passagem de transporte. A linha também gera problemas nas estruturas das residências, várias casas apresentam rachaduras. Até mesmo a quadra da localidade construída há menos de oito anos já sofre com o impacto do VLT.   

A construção de um  complexo cultural envolvendo construção de anfiteatros, praças, espaços para práticas de esportivas e convivência comunitária em todo o percurso que abrange a estação do Metrô a Escola Profissionalizante seria umas soluções para a integrar a comunidade do Gesso ao seu território. 

Outra problemática apresentada pela população foi a necessidade de ampliação da iluminação pública. Os morares reclamam que durante a noite as ruas ficam desertas pela baixa luminosidade.  

O evento organizado pelo Coletivo Camaradas discutiu questões relacionadas a infraestrutura urbana, desenvolvimento ambiental, cultura e desenvolvimento econômico eixos estruturantes no processo de revisão do Plano Diretor do Crato.

Postar um comentário

0 Comentários