Advertisement

Main Ad

Crise no PSDB: fritura aumenta e futuro da pré-candidatura de João Doria será decidido nesta terça-feira


Foto: divulgação

O PSDB vive a sua maior crise em 33 anos de história, afunda nas divisões internas e pode definir, nesta terça-feira, novos rumos na disputa pela Presidência da República. Vinte e quatro horas antes da reunião com dirigentes nacionais do MDB e Cidadania, que discutem a escolha de um nome único ao Palácio do Planalto, os tucanos farão uma avaliação sobre as pressões para o ex-governador João Doria declinar da candidatura à sucessão presidencial.

Legitimado pelas prévias que o indicaram como candidato, Doria não conseguiu se viabilizar eleitoralmente e, com menos 3% nas pesquisas de intenção de votos, passou a ser alvo das pressões para renunciar à pré-candidatura. O tucano acusa correligionários que apoiaram o ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, de tentativa de golpe e se opõe ao segmento do partido que defende apoio ao nome da senadora Simone Tebet (MDB).

Os últimos dias tem sido de tensão no ninho tucano e, nesse final de semana, por meio de carta escrita em papel timbrado de um escritório de advocacia, Joao Doria deixou um recado de que pode ir à Justiça para manter o resultado das prévias que o indicaram como o candidato do PSDB.

A irritação do ex-governador de São Paulo aumentou ainda mais após lideranças nacionais do PSDB decidirem, na semana passada, que a candidatura única da terceira via deveria ser definida com base em pesquisas quantitativas e qualitativas. Os resultados da pesquisa serão apresentados na próxima quarta-feira, mas, 24 horas antes, os tucanos se reúnem para tentar diminuir apaziguar o ambiente interno e selar a paz nos quadros do partido.

                                Ceará Agora 

Postar um comentário

0 Comentários