MPF investiga quase 1,2 mil fraudes no auxilio emergencial no Ceará

 





1.198 casos de irregularidade no recebimento do auxílio emergencial (em 2020) estão sendo investigados pelo Ministério Público Federal (MPF) no Ceará. Com base em cruzamento de dados feito pela Controladoria Geral da União (CGU) e denúncias recebidas, o órgão busca identificar os casos de fraude e denunciar criminalmente os responsáveis. 

Durante o ano passado, o Governo Federal pagou 9 parcelas do benefício. As cinco primeiras foram de R$ 600, seguidas de outras quatro de R$ 300. 

No MPF-CE foram abertos, pelo menos, 166 procedimentos para apurar indícios de irregularidades. Cada procedimento pode compreender a investigação de mais de um suspeito de fraude no benefício.

INVESTIGAÇÃO

O número de cearenses que fraudou o auxílio emergencial pode ser maior. Além das quase 1,2 mil investigações em curso pelo MPF-CE, outros órgãos de controle também realizam cruzamentos de dados e apuram o recebimento indevido do benefício.  

Segundo um levantamento feito pela Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), em junho do ano passado, 24.232 servidores públicos estaduais e municipais no Ceará que poderiam ter recebido, de forma irregular, o auxílio emergencial.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) tem acompanhado, por meio das promotorias de cada município, as investigações das gestões municipais.


            Ceará Agora 

Postar um comentário

0 Comentários