Covid-19: Equipe de saúde usa tronco para atravessar riacho e vacinar morador isolado

 



A enfermeira Marquele Balieiro enfrenta verdadeiros desafios para levar vacina a comunidades ribeirinhas e quilombolas na zona rural do município de Santana, no Amapá (Foto: Reprodução/Facebook)
A enfermeira Marquele Balieiro enfrenta verdadeiros desafios para levar vacina a comunidades ribeirinhas e quilombolas na zona rural do município de Santana, no Amapá (Foto: Reprodução/Facebook)

A pé, de carro, de barco e de avião, no mato, na cidade, na praia e no sertão, a vacina contra Covid-19 vai encontrando o caminho até os brasileiros nas mãos dos profissionais de saúde responsáveis pela campanha de imunização. E uma equipe destes profissionais chamou atenção das redes sociais pelo desafio vencido no último domingo, 4, para chegar até uma localidade isolada: foi preciso se equilibrar em um tronco, em plena Floresta Amazônica, para atravessar um riacho e alcançar a comunidade a ser vacinada.

A cena ocorreu na localidade de Massaranduba, zona rural do município de Santana, no Amapá, e mostra uma enfermeira e uma técnica de enfermagem, junto a dois moradores, utilizando uma corda para andar sobre o tronco. Pelas imagens, é possível notar que o tronco, não muito grosso, está a uma altura considerável do solo.


"Naquele momento eu tive que pensar entre o coração e a razão, porque a gente está levando um pouquinho de esperança para cada pessoa lá. Como tenho medo de altura, tive que superar esse medo. Quase eu caio, mas parei, respirei fundo e a gente passou tranquilo", contou a enfermeira Marquele Balieiro ao portal G1. Ela é a profissional que aparece na frente no vídeo e trabalha no programa de Estratégia Saúde da Família (ESF) da Prefeitura do município. 

Desde o início da vacinação, Marquele tem enfrentado adversidades para levar a vacina contra Covid-19 a comunidades ribeirinhas e quilombolas na região. Com população de pouco mais de 860 mil pessoas, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Amapá é o segundo estado menos populoso do Brasil. São comuns extensos vazios demográficos, o que torna, muitas vezes, a missão das equipes de vacinação um verdadeiro desafio.

Desde o início da campanha de imunização contra o coronavírus, Marquele já foi a 13 localidades isoladas da zona rural de Santana. No dia do vídeo, estava a caminho de Massaranduba pois um dos moradores, um idoso de 63 anos com obesidade, tem dificuldades de locomoção. Há três anos atuando na região, Marquele relata que mesmo com os obstáculos, o esforço é gratificante: “É uma satisfação levar as vacinas e salvar vidas".

                                              o povo 

Postar um comentário

0 Comentários