Conta de luz residencial está 7,55% mais cara no Ceará - Blog Amaury Alencar - O Mais completo do Interior do Ceará

Blog Amaury Alencar - O Mais completo do Interior do Ceará

O Blog mais completo do interior do Ceará com compromisso com a notícia.

Post Top Ad

ANUNCIE AQUI

23/04/2021

Conta de luz residencial está 7,55% mais cara no Ceará

 




Mais um aumento de despesa para o consumidor cearense. Desta vez, na conta de energia. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, na quinta-feira (22), o reajuste tarifário de 2021 da Enel Distribuição Ceará, que ficou em média de 8,95%. O novo reajuste já está em vigor desde a data de sua aprovação.

FOTO DIVULGAÇÃO


Para o consumo residencial foi aprovado um aumento de 7,55%. Ou seja, se em uma casa o consumo era de R$ 150, passa para R$ 161,32. Também terá aumento de 8,54% para os consumidores de baixa tensão, que incluem residências, pequenos comércios e rurais, e para os consumidores de alta tensão, como as indústrias, a tarifa fica 10,21% mais cara.


O novo reajuste vale para cerca de 3,8 milhões de unidades consumidoras cearenses. Além do Ceará, a Aneel revisou a tarifa para as empresas da Bahia, Rio Grande do Norte e Sergipe. A Enel Ceará informou que, “diante da situação crítica da pandemia e dos impactos causados na vida das famílias e nas atividades de comércios e indústrias, a companhia solicitou ao órgão regulador a inclusão de medidas para redução do percentual deste ano, que ficou cerca de 50% menor do que estava previsto”. Antes da reunião, que estava marcada para a última terça-feira (20), a projeção era de um aumento de dois dígitos, o que causou preocupação para os consumidores residenciais e donos de negócios já impactados com a pandemia da Covid-19.

Ações
Durante o anúncio, a Aneel reforçou que um conjunto de ações foi tomado como forma de mitigar as tarifas, entre elas a conta-covid e o reperfilamento do pagamento do financeiro da RBSE das transmissoras, que colaborou para amenizar as tarifas e manter o reajuste em um dígito.
De acordo com a Aneel, a revisão tarifária se deu com total transparência entre os agentes e “respeitando rigorosamente os compromissos previstos em contratos”. A agência citou ainda que os fatores que mais impactaram estes processos tarifários foram: custos com distribuição, pagamento de encargos setoriais e aquisição de energia.
Para a diretora Elisa Bastos, relatora de três dos quatro processos tarifários em questão (Cosern, Enel CE e Energisa Sergipe), “mais uma vez o setor elétrico dá provas da sua organização e comprometimento com o país. Foi necessário um esforço conjunto para que chegássemos a resultados tarifários que respeitem a capacidade de pagamento do consumidor, mas que ao mesmo tempo mantenha o equilíbrio das concessões de distribuição, bem como a qualidade da prestação dos serviços”.
“Realizamos a gestão das tarifas, com ações que serão capazes de atenuar os impactos tarifários que seriam sentidos pelos consumidores em 2021, mas sem comprometer o equilíbrio econômico das empresas dos segmentos de geração, transmissão e distribuição. Esse trabalho foi debatido com o Ministério de Minas e Energia e com todo o setor de maneira transparente e pelo bem do setor”, disse o diretor-geral da Aneel, André Pepitone.
Em 2020, a Aneel aprovou um aumento médio de 3,94% para os consumidores cearenses. Para o consumidor residencial, foi de 3,06%, para baixa tensão 4% e alta tensão, de 3,78%. Portanto, o cearense vai sentir um aumento médio de 5,01% em relação ao ano passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Post Bottom Ad

Pages