Assembleia Legislativa do Ceará aprova compra da vacina russa Sputnik pelo Estado

 





Vacina russa Sputnik V, do Centro Gamaleya (Foto: Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya)
Vacina russa Sputnik V, do Centro Gamaleya (Foto: Centro Nacional de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya)

A Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (ALCE) aprovou durante sessão nesta terça-feira, 16, o projeto de lei que autoriza o Governo do Estado a celebrar operação para fornecimento da vacina russa SputnikV. O texto tramitou em regime de urgência.

Não foi dado prazo para que as doses cheguem ao Ceará. Em postagem realizada pelo governador nas redes sociais no final de semana, Camilo destaca que a formalização do acordo deve ser feita ainda nesta semana. Na sexta-feira, 12, os governadores do Nordeste anunciaram a compra de 37 milhões de doses da mesma vacina russa. O quantitativo será introduzido ao Plano Nacional de Imunização do governo federal e utilizada em todos os estados.

Após reunião realizada entre o governador do Ceará Camilo Santana (PT) e representantes do Fundo Soberano Russo, as negociação avançaram e o Estado deve assinar acordo para compra direta de 5,87 milhões de doses do imunizante


A vacinal Sputnik V ainda não possui registro emergencial ou definitivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). "Aprovamos essa importante matéria que tem o objetivo de reforçar o Plano Nacional de Imunização. A expectativa é de que o governo do Ceará adquira 5,87 milhões de doses. No total, os nove estados que compõem o Consórcio do Nordeste devem comprar 37 milhões de vacinas", afirma o deputado Júlio César Filho (Cidadania), líder do governo na AL-CE.


Durante sessão desta terça, os deputados aprovaram também um projeto aprovado autoriza o Governo a pagar as contas de energia de empresas ou de microempreendedores individuais (MEIs) do setor de bares e restaurantes. "Essa é mais uma medida do pacote de apoio ao segmento. Esse benefício foi definido com base no diálogo entre Legislativo, Executivo e o setor", completou Júlio. 

Na ocasião, foram  aprovados ainda pedidos de calamidade pública para mais 8 municípios. No total, são 106 nessa condição.

                             o Povo

Postar um comentário

0 Comentários