Projeto abre edital para que entidades pesquisem fatos históricos do Cariri

 







                                                   Foto > Elizângela Santos 


A Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) do Ceará, está com um edital aberto para que entidades possam ajudar na pesquisa de consolidação de fatos históricos cearenses, incluindo alguns destes no Cariri. A iniciativa parte de uma ação do Governo do Estado, por meio da Cartografia da Memória do Ceará, que observará uma lista de fatos ocorridos entre 1915 e 1985, e que pretende remunerar entidades que possam contribuir com a pesquisa destes em mais de R$ 96 mil.

O foco do projeto é analisar acontecimentos que permeiam desde campos de concentração dos retirantes das secas a declaração da república à Ditadura Civil-Militar no Estado. A ideia é que o mapa fique disponível de forma gratuita, para que estudantes de diversos níveis no Ceará possam acessar para fins de pesquisa.

Para o Cariri, a SPS selecionou os seguintes fatos históricos:

  • Campos de concentração dos retirantes das secas
  • Sedição de Juazeiro
  • Caldeirão da Santa Cruz do Deserto

Além destes, no Estado, estão considerados os fatos como a Passeata das Crianças, no governo de Nogueira Accioly, a Confederação do Equador/Declaração da República no Ceará, Marcha do Pirambu, Favela José Bastos, Chacina de Japuara, Conflitos de terra no Sertão dos Inhamuns (1960-1970) e a Ditadura Civil-Militar no Ceará, no período de 1964 a 1985.

O historiador caririense Roberto Júnior elogia a iniciativa, e a considera importante para dar mais abertura estudos de outros tantos fatos importantes da história da nossa região.

“Considero um projeto de extrema relevância, de interesse público. Acredito que além da preservação da memória e de elencar pontos tão importantes da história cearense, esse projeto deve ser um ponto de partida, até porque ele não contempla todos os acontecimentos que merecem resgate no Ceará. Principalmente acontecimentos que tem relação com crimes cometidos pelo estado, a exemplo do Caldeirão de Santa Cruz do Deserto”, cita.

Ele considera importantes também o estudo de outros locais e fatos ocorridos neste período, tais como o Fogo das Guaribas, no município de Porteiras, e os Marcelinos (Fuzilados do Alto do Leitão), em Barbalha. Roberto destaca ainda a importância da participação da população nesta iniciativa.

“Espero que seja um projeto que sirva de início para algo que venha a continuar ocorrendo. Acho válida a aplicação do edital, e poderia ser melhor ainda se houvesse um edital de seleção dos temas pelo público, para que este desse suas sugestões de forma mais efetiva”, completa.

Seleção dos fatos

A seleção dos fatos aconteceu por meio de uma construção coletiva entre a SPS e o grupo de trabalho Memória e Verdade do Ceará. Ao todo, serão lembrados 10 acontecimentos históricos. Para Amanda Gomes, coordenadora de políticas de Direitos Humanos da SPS, o projeto é uma forma de valorizar a cidadania: “Nós acreditamos que a memória e a verdade são fundamentais para a construção de uma sociedade democrática, para que a conquista dela não seja esquecida, negada ou escondida”.

Sobre os fatos, Amanda Gomes explica que “a partir de um resgate da memória, poderemos contar, de geração para geração, a história do cearense, reconhecendo as lutas populares e feridas nos direitos humanos que aconteceram na história do Ceará para a consolidação da democracia (…). Queremos ir além da preservação da identidade do povo, mas dar passos na sua valorização”.

Edital

edital irá selecionar entidades que participarão das pesquisas e que apresentarão suas próprias propostas de pesquisa, destinando as selecionadas o valor total de R$ 96.197,00 para o projeto. As inscrições estarão abertas de 14 a 29 de janeiro, através de formulário online no site da SPS, com resultado preliminar divulgado em 12 de fevereiro. Para se inscrever é necessário que as Organizações da Sociedade Civil estejam previamente cadastradas no Sistema de Convênios e Congêneres e-Parcerias-Ce, que pode ser feito no site e-Parcerias.

Podem participar da seleção entidades privadas sem fins lucrativos, sociedades cooperativas integradas por pessoas em situação de risco ou vulnerabilidade pessoal ou social e contemplados por programas e ações de combate à pobreza e de geração de trabalho e renda, bem como organizações religiosas dedicadas a atividades ou a projetos de interesse público e de cunho social.

Após concluída a iniciativa, a secretaria pretende fazer parcerias com universidades estaduais, para que os estudantes possam continuar alimentando as pesquisas.

Postar um comentário

0 Comentários