Nosso blog teve acesso a documentos com exclusividade repassados por uma fonte anônima, que apresenta à manobra imoral dos vereadores de Barro-CE, em meio à pandemia, a mesa diretora da câmara municipal aumentou os próprios salários que já não é pouco.



O projeto partiu de autoria da própria mesa diretora, atualmente presidida pela vereadora Maria Pereira de Lira Silva, conhecida no município como Vanda do (PSD) partido do atual prefeito Dr Marquinélio.

Com a aprovação do projeto por 7 dos 11 vereadores o salário dos parlamentares passará para R$ 7.500 (sete mi e quinhentos reais) a partir de 01/01/2021. Se isso não já não fosse imoral o suficiente, o projeto enviado a câmara municipal prevê o aumento de 50% para vereador eleito presidente da câmara, com isso o presidente da câmara municipal de Barro-CE, passará a receber R$ 11.250 (onze mil duzentos e cinquenta reais)




A imoralidade deu prosseguimento com o aumento do salário do prefeito que passará a receber 13 mil reais mensais, consequentemente o vice-prefeito receberá 9 mil reais. Acha que parou por aí? A resposta é um sonoro NÃO.

Os secretários municipais passarão a receber o valor de R$ 4.200 (Quatro Mil e duzentos reais)

O paragrafo único do Art 5º da lei aprovada no dia 08/10 prevê que em caso de afastamento do prefeito e o vice-prefeito ou o presidente da câmara que assumir receberá salário proporcional pelos dias de afastamento do prefeito.

Atual prefeito Dr Maquinélio e a presidente da câmara municipal vereadora Maria Pereira de Lira Silva (Vanda)


Para entendermos melhor o cálculo faremos um exemplo, se o prefeito se afastar por 7 dias, e o presidente da câmara assumir o cargo por esse período, ele receberá o salário de R$ 11.250 (onze mil duzentos e cinquenta reais) mais R$ 3.250 (treze mil duzentos e cinquenta reais) pelos 7 dias que estaria no lugar do prefeito, totalizando R$ 14.500 (quatorze mil e quinhentos)

Dos 11 vereadores apenas 4 vereadores foram contra o projeto, todos do MDB, os demais 7 vereadores que sustenta a base do prefeito Dr Marquinélio (PSD-CE) votaram a favor da aprovação.  

Num município onde a maioria da população vive com menos de 1 salário e onde parte considerável da população vive com auxilio do governo e o principal de cabide de emprego é a própria prefeitura é no mínimo imoral que os parlamentares aumentem o próprio salário, do prefeito e de secretários. Apesar de legal, este é um projeto incoerente com a realidade desta cidade, que é pequena, pobre e ainda muito dependente.

Texto: Pedro Oliveira  

Edição: Ana Fernandes   


    Fonte Blog esquilopolítico.blogspot.com

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib