O padre Luís Gomes de Oliveira (PT) está disputando a Prefeitura Municipal de Matias Olímpio (237 km de Teresina), mas sob a censura de seu bispo, o de Parnaíba, Dom Juarez Sousa da Silva, que lembra a proibição do Vaticano  de sacerdotes disputem cargos eletivos e que não comeram abuso do poder religioso porque são pastores de suas comunidades. O padre Luís Gomes é de  Pedro II e é sacerdote de Matias Olímpio há de seis anos.

Quando ele anunciou a pré-candidatura, a Diocese de Parnaíba anunciou sua transferência para Paróquia de Ilha Grande, município do litoral piauiense, mas com o processo eleitoral deflagrado, ele se  afastou da igreja em virtude da eleição, costurou alianças e lançou a candidatura. “Essa situação com a Diocese está bem resolvida. Resolvemos em harmonia”, disse padre Luís Gomes.



Padre Luis Gomes (Foto: divulgação)

O padre declarou que decidiu ser candidato à Prefeitura de Matias Olímpio por uma necessidade local, já que considera a  política atrasada e ultrapassada para os novos tempos e  deseja  fazer um trabalho diferente para a população.

O  bispo Dom Juarez Sousa da Silva garante que os  padres são proibidos de se candidatarem e que quem a Igreja Católica  forma e ordena padres para serem pastores e não prefeitos.

Bispo Dom Juarez (Foto: divulgação)

Para Dom Juarez Sousa da Silva, o padre Luís Gomes é ex-vigário. Lembrou que os padres são proibidos de se candidatarem a cargos políticos e de participarem da política partidária e quando se candidatam são afastados do exercício do ministério sacerdotal. 

Meio Norte 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib