A promotora de Justiça Eleitoral, Karine Mota Correia, protocolizou, pela segunda vez, em dois dias, pedido de cassação e inelegibilidade por oito anos e aplicação de multa contra o prefeito de Tauá, Fred Rêgo, e a candidata a vice na sua chapa pela reeleição, Socorro Almeida.
Desta feita, a ação de investigação judicial eleitoral (AIJE) interposta pelo Ministério Público denuncia que Fred Rêgo, ao instituir o Programa Assistência Vale- Gás, em dezembro de 2019, se aproveitou de influência política e do uso de recursos municipais para praticar condutas que violaram o princípio da isonomia no processo eleitoral, em prol de sua pretensa candidatura no pleito de 2020.
A Promotoria argumenta que a “avidez em lançar o Programa, às vésperas do ano eleitoral, é notoriamente percebida, quando da simples observação dos atos administrativos praticados, após a aprovação da lei municipal nº 2516, de 10 de dezembro de 2019”. Para a promotora Karina Mota Correia, revelam o caráter eleitoreiro da instituição do benefício assistencial, bem como a nítida finalidade de autopromoção do então pré- candidato a prefeito.







Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib