A se confirmar rumores, circulantes na cidade, uma propriedade rural que se constitui numa Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), existente no Sítio Cobras, zona rural de Crato poderá desaparecer.


    Existe naquela localidade, localizada próxima à fronteira de Crato-Juazeiro do Norte, uma propriedade que preserva a fauna e a flora daquela região.  Além da proibição de desmatamento, o proprietário daquele sítio mantém lá um plano de reflorestamento e conservação de espécimes de arvores centenárias. Preservam-se aves e pássaros, hoje raros na zona rural do Cariri. 

      Não conseguimos apurar maiores detalhes sobre esses rumores. No entanto, o que se comenta é que o sítio vai ser desapropriado para lá ser construída uma subestação da rede elétrica na Região Metropolitana do Cariri. A se confirmar tais rumores, os prejuízos para a preservação ecológica e manutenção da beleza cênica daquela localidade sofrerá danos irreversíveis.

        Urge que todos os segmentos da sociedade caririense se movimentem com vistas a apurar a veracidade desses rumores. E estes, se confirmados, devem motivar a mobilização de toda a sociedade para evitar esse dano irreparável ao meio ambiente da nossa região.



PS em 27 de agosto de 2020:

O Sr. Fernando Callou, enviou-nos a mensagem abaixo:

“Não são rumores, Armando Rafael. Este santuário ecológico em reserva legal, está em processo de desapropriação, onde será instalada uma “poluente” sub estação de energia elétrica, que causará danos irreversíveis ao meio ambiente.
Seu artigo chegou em boa hora! Vamos lutar para que o oxigênio produzido por essa reserva legal, não nos falte. 

Crato, 26/08/2020.
FERNANDO CALLOU".

***

Confirmada a denúncia cabe agora a toda a população cratense entrar com uma ação anulando a desapropriação deste Sítio de Preservação Ambiental.

Ou será que o espírito de luta e o civismo do povo cratense desapareceu?
A esta altura deste grave problema, no mínimo, a mídia caririense deveria estar noticiando esta anomalia! Pelo visto a mídia que, antigamente, teve tanta força no Brasil e em Crato, de modo especial, perdeu o cargo de protagonista e passou a ser coadjuvante.

O TEMPORA, O MORES” (“Oh tempos! Oh costumes!”) Em seu discurso no Senado, nas célebres Catilinárias, o grande Cícero bradou contra os vícios e a corrupção de seu tempo. Imagina se ele vivesse agora.

Até quando seremos forçados a viver tempos tão deploráveis?
Postado por Armando Lopes Rafael  


Fonte : Blog do Crato 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib