Ainda não há definição sobre a realização da festa de Réveillon em Fortaleza de 2020 para 2021 (Foto: JULIO CAESAR)
Ainda não há definição sobre a realização da festa de Réveillon em Fortaleza de 2020 para 2021 (Foto: JULIO CAESAR)









A possível retomada do setor de turismo, hotelaria e eventos do Ceará ainda é incerta e só agora será avaliada pelo Comitê Científico, alerta o secretário da Saúde do Estado (Sesa), Dr. Cabeto. Em entrevista à rádio Jangadeiro, Cabeto explicou que uma proposta de retomada foi elaborada e ainda será apresentada e analisada ao Comitê a partir desta quarta-feira, 26.

“Não há absolutamente nada definido ainda. O que há são discussões e propostas, que ainda estão em avaliação no comitê”, reforçou ao O POVO o assessor especial de comunicação do Governo do Ceará, Chagas Vieira. O posicionamento vem um dia após o secretário do Turismo do Estado (Setur), Arialdo Pinho, afirmar que a retomada do setor iniciaria no dia 1º de setembro. 

Ainda de acordo com Chagas, sabe-se “muito menos” sobre a possibilidade de um Réveillon. Em entrevista ao O POVO, na noite dessa terça-feira, 25, o secretário Arialdo Pinho foi cauteloso, mas chegou a garantir: “Haverá Réveillon, sem dúvidas. Ninguém cancela o Réveillon. Mas em qual modelo ele deve ocorrer, ainda estamos estudando”.


Para a pasta da Saúde, no entanto, o posicionamento é de precaução. “Adiantar um pouco isso me parece precoce”, disse Cabeto. “Devem acontecer, de hoje a sexta-feira (28 de agosto), várias reuniões nas quais vamos discutir retorno das escolas, eventos, cinema, teatro, assim por diante”, informou.


O secretário também comentou sobre os feriados próximos. De acordo com ele, não haverá marcha de 7 de setembro, apesar das especulações. “As recomendações são as atuais. Evitar aglomeração, eventos proibidos, o isolamento social tem que ser prudente. Nenhum [desses eventos] tem liberação anunciada”, frisa. Ele pede cautela e elucida que o Comitê Científico está analisando os cenários epidemiológicos “tempo a tempo”.

Também por isso as fases do Plano de Retomada Econômica têm durado mais tempo em Fortaleza. Durante o mês de agosto, a Capital manteve-se na 4ª Fase de flexibilização. Segundo Cabeto, a pausa foi essencial para aumentar a testagem e conhecer melhor a situação epidemiológica do município. Até então, as decisões eram orientadas por detalhes em nível de regiões de saúde. A partir de agora, o intuito é ter informações epidemiológicas mais detalhadas por município. 


   ( O povo ) 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib