Clientes da ENEL no Sertão Central, esta semana quando iniciou o atendimento presencial na Agência de Atendimento em Quixadá foram constrangidos pela demora e ainda ter que esperar no sol do lado de fora da unidade.

Os usuários dos serviços prestadoras pela empresa, após três meses praticamente sem atendimento presencial foram surpreendidos ao chegarem na agência pela aglomeração de pessoas que aguardavam atendimento. Apenas um funcionário realizava o serviço. Mães com crianças nos braços, idosas todos tiveram que aguarda fora da pequena unidade de atendimento.

Clientes de cidades vizinhas são atendidos em Quixadá. Foto Alexandre Silva

Esta unidade além de Quixadá com quase 100 mil habitantes ainda recebe usuários das cidades vizinhas; Banabuiú, Choró, Ibaretama e Ibicuitinga. Estes clientes bem como os que residem na Zona Rural de Quixadá, utilizam transportes que em sua maioria retornam as comunidades no final da manhã.

Muitos clientes não conseguiram serem atendidos necessitando vir mais de uma vez para cidade. Outra reclamação é o minusculo espaço dedicado ao atendimento ao público. Antes da pandemia já era demorado com três atendentes e hoje retornaram com apenas um funcionário.

Usuários se abrigam na sombra do outro lado da rua.

Agência de Fiscalização de Quixadá – AGEFISQ, foi acionada e compareceu ao local onde registrou uma grande aglomeração e falta de estrutura no atendimento. A fiscalização municipal multou a ENEL em mais de R$ 3 mil reais e deu prazo para que possa se enquadrar no protocolos municipais para o atendimento.

Uma das exigências foi a colocação de tendas para abrigar os usuários do sol e o aumento de funcionários para agilizar no atendimento. Uma cliente do Residencial Rachel de Queiroz afirmou que “funcionários para cortar a luz tem muito,  mas para resolver os problemas falta é muito” 

       

 Sertão Alerta 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib