Fabiano Piúba, secretário da Cultura
Fabiano Piúba, secretário da Cultura (Foto: Gustavo Simão em 14/12/2018)
O Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura se manifestou em carta aberta sobre a entrevista dada pela secretária especial da Cultura, Regina Duarte, à emissora CNN nessa quinta-feira, 7. A carta tem dois pontos principais: o repúdio à forma como a secretária se refere ao período de ditadura militar e uma cobrança de respostas sobre a liberação do Fundo Nacional da Cultura. 


Em entrevista, a atriz minimizou as mortes ocorridas durante o regime, afirmando que sempre houve tortura no Brasil e em outros países, o que, segundo o secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, foi um ato “inconcebível”. A menção pela secretária, segundo Fabiano, se relaciona com a questão cultural pois o uso da “memória” é uma forma de construção da cultura.

“Aumentamos o tom da crítica, porque a memória é formação cultural de um povo, a gente não poderia passar em branco. E nos estranha ela fazer a defesa ou achar que [a ditadura] não era nada grave, em um regime que houve tortura, que os artistas foram extremamente perseguidos, como também a liberdade da expressão artística.

 Nos estranha muito neste sentido, achar que a gente estava ‘desenterrando mortos”. A gente não pode dá margem à esse contexto de polarização. Se alguém tem a oportunidade para falar, deve reforçar a manifestação democrática, para que a gente não tenha mais movimentos como aquele”, ressalta o secretário. 

A postura da atriz também foi criticada por diversas personalidades do campo cultural, como Anitta, Duda Beat, Lulu Santos, Bruno Gagliasso e Maitê Proença.


o Povo 
Postagem Anterior Próxima Postagem