Conforme atualização da Superintendência de Obras Públicas do Ceará, as obras do Teleférico do Horto, em Juazeiro do Norte, permanecem ocorrendo, obedecendo às orientações governamentais no que se refere a medidas decretadas para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. De acordo com a Secretaria do Turismo (Setur), a obra avaliada em quase R$ 70 milhões tem pouco mais de 30% da construção concluída.

 Mesmo durante pandemia, obras do Teleférico do Horto continuam em Juazeiro


A execução iniciou desde 2019, e no último mês de abril recebeu mais flexibilização para continuidade das obras perante o decreto estadual de isolamento social. A obra é um convênio do Governo do Estado com a Caixa Econômica Federal (CEF) e atrelada a compromissos internacionais com a fabricante das cabines do teleférico, a Doppelmayr. Segundo informa a pasta, a construção continua para evitar perda de recursos federais.

No intuito de diminuir os riscos de contágio pelo novo coronavírus, foram adotadas medidas no canteiro de obras para garantir a segurança dos trabalhos. São elas: a redução do número de operários no turno de trabalho, horários diferenciados para refeições para evitar aglomerações, distanciamento entre indivíduos nas filas de ponto e no refeitório, além do uso de máscaras e higienização das mãos com álcool em gel, água e sabão.

O teleférico de Juazeiro do Norte contará com 31 cabines climatizadas com capacidade para transportar até oito passageiros sentados. O percurso de dois quilômetros (2 km) com elevação de 200 metros sendo realizado entre a Estação Romeiros (inferior) e Estação do Horto (superior), na colina onde fica localizada a estátua do Padre Cícero. Cada trajeto será realizado em 7min30seg.

“Sofremos os percalços dessa situação de pandemia, mas a obra do teleférico de Juazeiro em momento algum foi paralisada. Estamos tomando todas as precauções para preservar a integridade física dos operários e ressaltamos que a parte de Construção Civil segue funcionando, com foco nas fundações da Estação do Horto”, afirma Silvio Campos, diretor de obras da Superintendência de Obras Públicas do Estado.

A gestão municipal, que também acompanha a evolução da construção, avalia que apenas a Estação do Horto mantém a concentração dos serviços, de forma mais lenta e com quantidade de operários reduzida. Com capacidade para receber até 2,5 milhões de pessoas por ano, o equipamento de previsão de ser entregue no segundo semestre de 2022.

Desapropriações

Com a compreensão dos trâmites de regularização da faixa de terra que compreende o trajeto das torres e cabos do teleférico, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) pode então negociar a desapropriação dessas áreas no entorno. É o que garante Silvio, que afirma que o decreto imposto pelo governador Camilo Santana é de utilidade pública para esta negociação.

“Essas medidas serão negociadas junto aos moradores, para que possamos fixar as torres que receberão correntes e cabos do equipamento”, salienta o diretor de obras.


Badalo 

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib