Nesta quinta (7) e sexta-feira (8), cerca de 1.500 estabelecimentos comerciais que relutavam em abrir suas portas descumprindo os decretos estadual e municipal de quarentena foram autuados em flagrante por fiscais Vigilância Sanitária e da Secretaria do Meio Ambiente (Semasp).

Os alvos das ações de fiscalização ocorreram no Centro e no bairro Pirajá, onde fica o maior mercado público da cidade. Os comerciante têm prazo de 15 para recorrer na própria Semasp.

Os comércios considerada não essenciais estão proibidos de funcionar até o próximo dia 20, por força do decreto publicado pelo governador Camilo Santana e pelo prefeito Arnon Bezerra. O objetivo é evitar a propagação da pandemia causada pelo Covid-19.

São considerados serviços essencais supermercados, farmácias, postos de combustíveis, clínicas médias e laboratórios entre outras.
Postagem Anterior Próxima Postagem