O ministro da Justiça, Sergio Moro, foi alvo de ataques que geraram bate boca entre deputados durante participação em audiência pública na Câmara dos Deputados que analisou a PEC da segunda instância, na tarde desta quarta-feira (12). 

Durante a sessão, o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) chamou o ministro de “capanga de milicianos” ao se pronunciar contra a medida que estabelece o trânsito em julgado da ação penal após o julgamento em segunda instância, extinguindo os recursos aos tribunais superiores.

“O senhor é um capanga da milícia e do governo Bolsonaro”, disse Braga. “O senhor Sergio se apresenta de maneira muito polida, mas mente descaradamente.

 Toda vez que questionado sobre o caso Carlos Bolsonaro, ele diz que é uma responsabilidade do Ministério Público do Rio de Janeiro e da polícia. Trabalha como blindador da família Bolsonaro e, consequentemente, da milícia”, disse o deputado, ao citar relatório da Polícia Federal que inocentou Flavio Bolsonaro em relação às acusações de lavagem de dinheiro.

Moro reagiu e disse que o deputado era desqualificado para o cargo.


A fala do deputado provocou fortes reações e houve ameaças de agressão. O deputado Eder Mauro (PSD-PA) discutiu com o parlamentar do Psol, disse que a mãe do deputado era “uma bandida” e houve ameaça de empurra-empurra. Moro saiu escoltado por parlamentares bolsonaristas.
Deputados Glauber Braga e Eeder Mauro (à dir.) batem boca em audiência pública Reprodução/Twitter
 
veja  

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Colorlib