Foto: Werisleik Gois
 
Pelo 8º ano, na véspera do Carnaval, a Secretaria de Assistência Social, através do CREAS, intensifica o seu olhar sobre as Crianças e Adolescentes diante da Violência Sexual, por meio de ações preventivas junto à comunidade. A importância de alertar a sociedade sobre estes crimes hediondos, praticados contra crianças e adolescentes, é de suma importância. Daí a temática: Pare! Eu não sou seu brinquedo.
 
Portanto, não se deve silenciar. Porque o silêncio é uma forma de violência. Na maioria das vezes, a criança ou adolescente não tem como expressar sua dor ou verbaliza-la, sentem-se culpados e ameaçados pelo agressor, que pode ser alguém de sua família ou um conhecido. “Por isso, é importância denunciar. Não tenha medo, seja quem for o agressor. Disque 100 ou procure o Conselho Tutelar. A sua identidade será mantida em absoluto sigilo. A violência contra a criança e o adolescente compromete não semente o menor agredido, mas o futuro da sociedade”, comenta a Coordenadora do CREAS Joelma Onofre.
 
Outros locais para receber as denúncias são: as Escolas, o CRAS, o CREAS, o Conselho Tutelar, a Pastoral da Criança, a Policia Militar, a Polícia Civil, o Ministério Público, o Poder Judiciário.  
O Conselho Tutelar, como órgão direto de proteção às crianças e adolescentes, adota as providencias cabíveis, encaminhando para outros serviços ou órgãos competentes, assim como acompanha os casos para garantir os direitos desse público. O Centro de Referência Especializado em Assistência Social - CREAS acompanha as vítimas e suas respectivas famílias, por meio dos serviços de psicossociais e jurídicos, levando em consideração os seus aspectos emocionais.
 
O evento ocorreu no Calçadão Mario Gomes de Matos com serviço de som, banda de música, desfile de alunos e profissionais da área. Terminou com adesivação de veículos destacando o tema da Campanha e a realização de testes rápidos de HIV e Hepatite pela Secretaria de Saúde, no prédio do CREAS. Além da coordenadora do CREAS Joelma Onofre, compareceram as secretárias Valéria Sampaio (Assistência Social), professora Eldevanha de Souza (Educação), Deide Pereira, coordenadora da Pastoral da Criança e o professor Agnaldo Cândido, articulador do Selo UNICEF no Município.



















                        Fotos: Werisleik Gois
Postagem Anterior Próxima Postagem