Médico Henrique César alerta população sobre surto de sarampo e diz: “o grande motivo é a desinformação”


 o médico ortopedista e professor universitário Henrique César alertou a população sobre o os perigos do Sarampo e a importância da vacinação.

Em sua fala inicial, Henrique registra o aumento dos casos de sarampo confirmados no Brasil, que chegaram a 1.388, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados ontem (14). Para o médico, o grande motivo desse crescimento, é a desinformação:

“Isso tá subindo, e o motivo é que, em pleno século 21, em 2019, o grande motivo desse surto no mundo todo é desinformação. As pessoas estão recusando vacinar-se, não estão se submetendo a cobertura vacinal.”

Na sequência, o médico faz um apelo a população para buscar a vacinação como forma de combate a doença. Ele afirma que esta “não é uma questão somente de saúde própria, mas de solidariedade” e os brasileiros precisam estar nessa cobertura para erradicar esse problema do meio social.
Médico Henrique César é entrevistado no Jornal Alerta Geral (Foto: Reprodução)
, Henrique foi questionado pelo jornalista Luzenor de Oliveira sobre a influência das notícias falsas, conhecidas como “Fake News”, nessa falta de estímulo dos cidadãos à vacinação das crianças.
“Existiram algumas “Fake News” principalmente na Europa, depois de alastrou pelo mundo todo, de eventuais males, que a vacinação especificamente contra sarampo causaria, isso é absolutamente uma inverdade. É uma vacina bem testada no mundo todo e no mundo todo foi responsável por erradicar essa doença tão nefasta.”

Por fim, Henrique César afirma que o sarampo poder se uma doença letal e que a melhor maneira de se manter protegido é através da prevenção, a vacina. Para governo, na opinião de Henrique,
é necessário uma sensibilização contínua, educação realizada continuamente para manter a população atenta à importância da vacina.

Informações
Veja abaixo quem pode/deve e quem não pode/deve receber uma dose contra o sarampo:
  • Bebês com menos de 6 meses: contraindicada a vacina em quaisquer circunstâncias.
  • Bebês de 6 meses a 1 ano de idade: podem tomar a vacina, dependendo da orientação. Alguns municípios do estado de São Paulo, Rio de Janeiro e a cidade de Salvador estão recomendando.
  • Crianças de 12 meses: deve ser dada uma dose.
  • Crianças de 15 meses: devem receber a segunda dose.
  • Crianças e Adolescentes que só tomaram uma dose: devem receber a segunda dose.
  • Adolescentes e adultos jovens, de 15 a 29 anos, no Município de São Paulo: devem receber mais uma dose, independentemente do número de doses anteriores.
  • Pessoas até 29 anos de idade, em geral: devem ter 2 doses na vida, com intervalo de 1 mês entre elas.
  • Pessoas entre 30 e 50 anos de idade: devem fazer 1 dose se não souberem seu estado vacinal. Idealmente devem ter duas doses feitas na vida.
  • Pessoas com 60 anos ou mais de idade: não precisa ser vacinado. Mas não há limite de idade para receber a vacina. Idosos podem receber a vacina


   Ceará agora