Início do ano letivo na rede municipal e volta do auxílio emergencial estão na agenda da Aprece, diz novo presidente da entidade

 




O novo presidente da Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece), Júnior Castro (PDT) disse, nesta quarta-feira, em entrevista que o início do ano letivo na rede municipal de ensino, com medidas para preservar a saúde dos servidores, estudantes e professores, assim como a volta do auxílio emergencial, estão como principais pautas da agenda da entidade.

Júnior Castro, que é prefeito de Chorozinho, foi eleito, nessa terça-feira, para presidir a Aprece no biênio 2021/2022, e, no primeiro encontro com o Governador Camilo Santana (PT), expôs preocupação com o calendário do ano letivo. Segundo ele, os preparativos estão sendo adotados para as aulas serem ofertadas em um modelo hibrido – presencial e virtual.

“A gente tem essa preocupação porque o ano de 2020 foi um ano muito difícil, a gente vinha num crescimento da nossa educação, referência nacional e por esse motivo a gente está nessa ansiedade dessa retomada da aula de forma presencial”, disse o novo presidente.

Ele explica ainda que a expectativa é de que o início do ano letivo seja feito de forma virtual e no decorrer seja implementado o sistema híbrido de acordo com o decreto estadual que prevê até 30% de forma presencial. Começando no início de fevereiro, o ano letivo é pra já iniciar de forma híbrida com alunos tendo aula presencial. “Claro que isso vai ser definido de acordo com cada escola, com os professores, com a comunidade escolar”, afirmou.

Durante a entrevista, o presidente da Aprece fala, ainda, sobre articulações com os deputados federais e senadores e com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) para fortalecer a luta em defesa do auxílio emergencial.

De acordo com Júnior Castro, sem o benefício, nessa cenário da pandemia, milhões de pessoas continuarão passando dificuldades sem a ajuda do Governo Federal. Ele disse que a Aprece se mobiliza com a CNM para pressionar o Governo Federal a avaliar a volta do auxílio emergencial.

“A gente esta nessa mobilização junto a CNM, junto aos deputados para que a gente possa ter uma prorrogação desse auxílio emergencial de modo a garantir o mínimo de subsistência para essas pessoas que se enquadram dentro do perfil. E ao mesmo tempo isso vai fazer com que a nossa ela fique movimentada, aquecer a nossa economia local”, declarou Júnior Castro. 

   Ceará agora 

Postar um comentário

0 Comentários