Postagem em destaque

CPI pede indiciamento de executivos do Itaú e Safra por fraudes

Haddad articula frente para 2022. ‘Esse país não aguenta oito anos de Bolsonaro



Haddad acredita que a juventude está ávida pela participação na construção
 de um novo projeto de país. (FOTO/Reprodução).

Ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) está em diálogo permanente com lideranças como Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, o ex-senador Roberto Requião (MDB-PR), o ex-governador Ricardo Coutinho, do PSB, e outros partidos de centro-esquerda. A ideia é articular uma frente progressista que tenha condições de disputar – e ganhar – a eleição presidencial em 2022. “Temos de ganhar as eleições de 2022, porque esse país não aguenta oito anos de Bolsonaro”. O anúncio foi  feito neste sábado (3), durante a 21ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada em São Paulo neste sábado e domingo.

Na avaliação de Haddad, os partidos de centro “cometeram suicídio” ao apoiar Jair Bolsonaro (PSL). “Apoiaram o pior quadro político da história do Brasil e agora estão lamentando envergonhadamente por terem alimentado um bicho que eles não conseguem domesticar. É disso que se trata: nós temos hoje um bicho na presidência da República que não quer ser domesticado. O centro está acuado, envergonhado demais”, afirmou.
O petista criticou setores da imprensa que nivelaram o PT ao de Bolsonaro, só que no extremo contrário. É o que ele chamou de “comparação artificial”. “Nunca me envergonhei de ser socialista. Nunca admiti que arbítrios fossem cometidos contra a população. E nenhum companheiro meu de centro-esquerda fizeram isso. Nunca abrimos mão de organizar o povo para a participação, para a democracia. Eles (aliados de Bolsonaro) não querem democracia. Só de gabinete.
E defendeu a participação da população inclusive no projeto a ser forjado para as eleições. É com ideias novas, acredita, que novos corações serão conquistados e novas mentes serão mobilizadas – a juventude.
Para Haddad, os jovens estão ávidos por essa construção. Tanto que foram às ruas em maio, somando mais de 1 milhão de pessoas na mobilização em defesa da educação, fortemente atacada pelo governo Bolsonaro.
_________________________
Com informações da RBA.
Haddad articula frente para 2022. ‘Esse país não aguenta oito anos de Bolsonaro Haddad articula frente para 2022. ‘Esse país não aguenta oito anos de Bolsonaro Reviewed by blogdoamauryalencar.blogspot.com.br on 18:12 Rating: 5

Random Posts

3/random/post-list