MPE pede condenação de prefeito e secretária de Saúde de Jijoca que furaram fila da vacinação

 












Dor de cabeça, constrangimento e mal estar para o prefeito de Jijoca de Jericoacoara, Lindberg Martins (PSD), e para a secretária da Saúde do Município, Joila Carneiro, que foram denunciados, nessa terça-feira (09), pelo Ministério Público Estadual por furarem a fila da vacinação contra a Covid-19.

Lindberg e Joila não estavam na lista de prioridades para a imunização, mas, mesmo assim, fizeram questão de cortar a fila e, como consequência, poderão ser condenados por improbidade administrativa e pagamento de multas.

A Ação Civil Pública movida pela Promotoria de Justiça de Jijoca pede, além da punição pelo crime de improbidade administrativa, a decretação de indisponibilidade de bens, multas no valor de R$ 140 mil ao prefeito e, no caso da secretária de saúde, R$ 54 mil.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual, Lindberg e Joila foram vacinados no dia 19 de janeiro, enquanto, na mesma data, profissionais de saúde que estão na linha de frente do atendimento contra à Covid, assim como as pessoas mais idosas, aguardavam pelo imunizante da CoronaVac.

A Prefeitura de Jijoca de Jericoacoara, segundo informação publicada pelo Jornal Diário do Norte, informou, por meio de nota, que o prefeito e a secretária de saúde não receberam a notificação e que estão à disposição das autoridades para maiores esclarecimentos.

Postar um comentário

0 Comentários