Secretário Especial da Cultura, Mário Frias chama auxílio emergencial de "esmola"



Substituto de Regina Duarte na Secretária Especial de Cultura, o ator Mario Frias conversou com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ontem, em um canal no Youtube. Frias afirmou ter se sentido um "ET" no meio artístico e disse viver "em comunhão" com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Frias também falou que os artistas não querem "esmola", em referência ao auxílio emergencial de R$ 600 aprovado pelo Congresso à categoria.

"Artista não quer esmola. A maioria que eu vejo diz: 'Me deixa trabalhar'. Não quero auxílio.", disse Frias.

Quase um mês após ser aprovado no Congresso Nacional, o projeto de auxílio emergencial ao setor ainda não foi assinado por Bolsonaro.

Ele tem até o dia 30 de junho para sancionar ou vetar o texto. Se ele não se manifestar, a lei entra em vigor automaticamente.
Postagem Anterior Próxima Postagem