Advertisement

Cariri terá 137 leitos para tratamento de coronavírus

A rede de saúde do Cariri se prepara para um eventual aumento do número de casos confirmados de coronavírus na região. Até o fechamento desta matéria, dois pacientes haviam sido diagnosticados com a doença: uma senhora que viajou de São Paulo para Juazeiro do Norte e o prefeito de Mauriti, Mano Morais.

 Levantamento do Jornal do Cariri indica um total de 136 leitos já disponíveis ou em vias de preparação para eventual crescimento na demanda de pacientes. Um encontro, na semana passada, reuniu 15 representantes de hospitais da região, Secretarias de Saúde de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (Crajubar), Ministério Público estadual e Justiça Federal para debater a ampliação de leitos.

O Hospital Regional do Cariri já havia sido destacado pela Secretaria de Saúde do Ceará como unidade de referência para o tratamento de pacientes, mesmo antes de os primeiros casos serem registrados no Estado.

Com a curva crescente de casos no Estado, a unidade readequou sua estrutura e, atualmente, possui 35 leitos dedicados para pacientes com Covid-19, mas pode ampliar a capacidade para 60, com o envio de pacientes já internados para outros hospitais da rede de saúde. Os dois hospitais de Crato, São Camilo (que também é maternidade) e São Raimundo (que atende traumas) reservarão oito leitos cada um. Em Barbalha, os hospitais Santo Antônio e do Coração dedicarão sete leitos de forma conjunta, nas especialidades de traumatismo craniano e cardiologia, caso o Governo do Ceará forneça equipamentos.

Com a mesma condição, o São Vicente disporá de dois leitos pediátricos. Unidades de Saúde que não se concentram no Crajubar também terão leitos à disposição. São dois leitos para gestantes em estado de saúde grave em Brejo Santo e outros leitos em Mauriti e Lavras da Mangabeira, dois em casa cidade; Assaré, Missão Velha e Penaforte, um em cada cidade. Outras medidas são tomadas para além dos leitos exclusivos para o Covid 19.

A Prefeitura de Juazeiro do Norte determinou a limpeza do Hotel Municipal para que a estrutura possa ser utilizada, caso o número de leitos na cidade se torne insuficiente. Também foram readequadas as instalações da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Lagoa Seca, que deveria ter sido inaugurada há mais de cinco anos. A nova UPA acresceria mais 30 leitos em Juazeiro do Norte.

 O Município ainda tem sete leitos no Hospital São Lucas e outros sete em uma unidade de sentinela. Hospitais como o São Raimundo, em Crato, limitam o acesso de pessoas nas instalações, reduzindo, inclusive, as visitas e acompanhamentos de pacientes. O complexo hospitalar de Barbalha suspendeu serviços que não se enquadram como urgências e emergências nas áreas cardíacas e de traumatismo craniano.

(no Jornal do Cariri)