Técnicos da Sesa e da Adagri investigam caso de Febre do Nilo Ocidental em equinos em Boa Viagem


 
A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) e a Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adagri) realizaram investigação epidemiológica sobre o caso de Febre do Nilo Ocidental em equinos, na cidade de Boa Viagem. Os técnicos coletaram amostras de equídeos com suspeitas de síndrome neurológica que vieram a óbito no município. As amostras foram encaminhadas para o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e depois encaminhadas para Pedro Leopoldo (MG), assim foi confirmado o diagnóstico positivo para Vírus do Nilo Ocidental. Não há registro de caso humano de encefalite pelo vírus no Ceará nem suspeita do vírus em humanos no estado.

A Sesa, assim que foi notificada do caso no animal, enviou comunicação ao Ministério da Saúde solicitando apoio na investigação para buscar entender como se deu a transmissão do Vírus do Nilo Ocidental no equino que veio a óbito. Dados do Ministério da Saúde sugerem que a circulação do vírus em animais (aves e equídeos) se deu a partir de 2011 no Brasil.

Desde a última terça-feira, 3 de setembro, até esta quarta-feira, 11, uma força tarefa composta por 25 profissionais de diferentes instituições está no município de Boa Viagem, a cerca de 200 km de Fortaleza, coletando informações e amostras de animais (aves e equídeos) e humanos, além da coleta de insetos que são vetores potenciais do VNO. O trabalho está sendo feito a fim de elucidar a ocorrência do óbito de um cavalo e para investigar se há circulação do VNO no Ceará.

“Essa investigação do vírus do Nilo lá no município de Boa Viagem é de extrema importância para a gente entender como é que essa transmissão com o equino que veio a óbito para saber se o vírus ainda está lá presente. Trata-se de uma arbovirose. É importante a gente saber se as pessoas estão expostas a esse vírus ou se ele está restrito aos animais”, disse a supervisora do Núcleo de Controle e Vetores da Sesa, Ricristhi Gonçalves, esse trabalho da investigação que está sendo feito nos animais é de suma importância.

As instituições que fazem parte dessa mobilização são: Fiocruz, Instituto Evandro Chagas, Ministério da Saúde, Centro Nacional de Pesquisa para a Conservação das Aves Silvestres (Cemave), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), Sesa e Secretaria Municipal de Saúde de Boa viagem.

Transmissão
O vírus do Nilo Ocidental (VNO) é transmitido por meio da picada de mosquitos infectados, principalmente do gênero Culex. Os hospedeiros naturais são algumas espécies de aves silvestres, que atuam como amplificadoras do vírus (viremia alta e prolongada) e como fonte de infecção para os mosquitos. Também pode infectar humanos, equinos, primatas e outros mamíferos.

O homem e os equídeos são considerados hospedeiros acidentais e terminais, uma vez que a viremia se dá por curto período de tempo e em níveis insuficientes para infectar mosquitos, encerrando o ciclo de transmissão.

 (Do Repórter Ceará)